Seu filho tem Down!?

Descrição da imagem #pracegover: Foto do grupo de jovens com síndrome de Down durante encontro do Felicidade Down. Eles estão usando camisetas coloridas. Fim da descrição.
Grupo de jovens durante encontro do Felicidade Down (Foto: Divulgação)

São muitas as afirmações, exclamações, mitos e dúvidas, frequentemente observadas por pais de pessoas com Down. Por isso é muito importante esclarecê-las.

“Coitadinha, ela é uma mãezinha de uma pessoa com Down.”
As mães de pessoas com Down não são coitadinhas e nem diferentes de outras mães. Como qualquer mãe, elas buscam a felicidade de seus filhos.

“Seu filho com Down vai morrer mais cedo?”
A longevidade das pessoas com Down e de qualquer outro ser humano está intimamente ligada à sua qualidade de vida e, principalmente, à sua motivação positiva com relação à vida. Atualmente existem muitas pessoas com Down vivendo mais de 70 anos.

“Coitadinho, qual é o probleminha que ele tem?”
A pessoa com Down não tem problemas… tem dificuldades que podem ser contornadas com estimulos, oportunidades, educação e socialização.

“Você, como mãe de uma pessoa com Down, tem que ser forte.”
As mães de pessoas com Down são como todas as outras, cada uma tem sua própria característica pessoal, necessariamente não precisam ser fracas ou fortes, e como as demais mães simplesmente buscam a felicidade de seus filhos.

“Qual é a doença do seu filho?”
A T21 não é uma doença nem deve ser tratada como tal. As pessoas com Down têm uma características genéticas próprias causadas pela presença de um cromossomo extra nº 21 par. Nascem com Down e morrem com Down.

“Seu filho é portador da síndrome de Down?”
A síndrome de Down não é doença, dessa forma as pessoas com Down não “portam” nenhuma patologia, não são portadores de nada, são simplesmente pessoas com Down.

“Todas as pessoas com Down têm problemas no coração.”
Quando nascem, algumas pessoas com Down podem apresentar casos congênitos na formação do coração. Muitos desses casos se solucionam naturalmente após determinado período e outros necessitam de correção cirúrgica, que em geral não deixam sequelas. Após essa etapa todos as pessoas com Down podem e devem levar uma vida normal e saudável.

“Por que ele nasceu assim? Tem outros casos na família?”
A T21 é um acidente genético e na maioria dos casos não tem nenhuma ligação com a genética familiar ou questões hereditárias.

“Não tem como curar seu filho com Down?”
Lesões ou doenças crônicas podem se modificar através de intervenções cirúrgicas, tratamentos ou quaisquer procedimentos. Por ser genética e não ser uma doença não há o que se falar sobre cura.

“Seu filho que tem Down deve estudar em Escola Especial?”
A ideia de que as pessoas com Down devem frequentar escolas especiais é ultrapassada. Todo cidadão tem direito de participar da sociedade, portanto, jovens e crianças com Down devem ser incluídos em escolas de ensino regular.

“Qual o grau da síndrome de Down do seu filho?”
Não existem graus na T21. O que irá determinar o resultado do seu desenvolvimento será o meio ambiente que o cerca após seu nascimento.

“Deus envia crianças com Down só para pais especiais!”
Respeitando-se todas as crenças religiosas, os pais de pessoas com Down não devem se sentir especiais. Devem aceitar as características próprias de seu filho e oferecer condições para que ele se desenvolva adequadamente e seja plenamente feliz.

“Seu filho com Down é agressivo?”
As pessoas com Down não possuem um comportamento determinado. Sendo assim, julgá-los como agressivos pressupõe preconceito. Cada um tem sua característica pessoal alicerçado na sua estrutura familiar, convivência social, educação, etc…

“Você tem um filho com Down, você estudou sobre o assunto?”
Como qualquer outro filho, a pessoa com Down tem suas próprias características. Não existe necessidade de estudos aprofundados sobre o assunto. São necessários muito estímulos, usar o bom senso e cuidados com determinados itens. A troca de informações com outras mães é de muita importância.

“As pessoas com Down são muito carinhosas.”
As pessoas com Down não possuem comportamento determinado. Cada um tem sua própria individualidade e característica. Afirmar que eles são carinhosos nada mais é que uma forma de preconceito. Parte desse preconceito acontece porque muitos pais, por excesso de proteção, acabam infantilizado seus filhos.

“Eles são muito mais espertos que as outras crianças!”
Como qualquer pessoa, as pessoas com Down não possuem nível de desenvolvimento intelectual pré-determinado. Por conta da T21 apresentam questões especificas em seu cognitivo. Afirmar que eles são mais espertos nada mais é que uma forma de preconceito.

“As pessoas com Down têm sexualidade aflorada.”
A T21 não afeta a sexualidade. Essa afirmação existe porque algumas crianças, adolescentes e jovens com Down realizam comportamentos socialmente inadequados, isso acontece porque alguns pais não consideram a sexualidade dos filhos, e assim acabam não transmitindo orientações sexuais adequadas aos filhos.

“Como seu filho é lindo! Nem parece que ele tem Down.”
A questão da beleza é subjetiva, não se pode afirmar que eles são mais lindos. Cada um tem sua própria característica. Afirmar que eles são lindos nada mais é que uma forma de preconceito.

“Seu filho com Down vai ser sempre um bebê.”
As pessoas com Down não são doentes mentais, eles apresentam algumas limitações no cognitivo, tendo direito a autonomia e independência. Não devem ser tratados como eternas crianças. Os pais e a sociedade devem buscar não infantilizar os Downs, devemos exigir deles que se comportem conforme sua idade cronológica.

Leia também: A inclusão dos nossos filhos começa em nossas casas



Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.