Quem ganha quando a gente perdoa?

Descrição da imagem: Foto de uma árvore sendo abraçada por uma criança. Vemos apenas as mãos da criança, que está atrás do tronco. No centro do tronco tem um coração vermelho desenhado. Ao fundo vemos folhagens de uma floresta. Fim da descrição.
Roberta Borges propõe uma reflexão sobre o perdão (Foto: Divulgação)

Você já parou para pensar no valor do perdão na vida da gente?

Tenho pensado frequentemente a respeito disso. Talvez porque temos perdido tantas pessoas queridas: pais, irmãos, mentores, amigos, gente simples e famosa que se vai da nossa vida sem muitas vezes termos tempo de dizer o quanto eram amadas, admiradas e importantes… Ah, esse tempo danado!

Quem me conhece sabe que sou defensora da Educação Consciente e não violenta que transforma histórias porque oferece saberes poderosos e promovem mudanças significativas que partem de nós para o mundo. 

Avançamos muito quando libertamos nosso instinto natural, deixando fluir a essência humana boa e gentil, nos permitindo honrar quem realmente somos e deixar fluir o amor, o respeito, a reconciliação com nossos amores, amigos e afins. Aceitamos que somos pontinhos de luz no Universo!

A caminhada fica tão mais leve quando seguimos adiante e diluímos as mágoas, os ressentimentos, as histórias mal resolvidas, as humilhações, as dores e feridas emocionais que nos consomem o corpo, a mente e a alma. 

É libertador compreender que a vida é repleta de mistérios e muitas vezes, alguns são indecifráveis e tudo bem, porque quem ganharia ou perderia em resolvê-los? Eu não tenho essa resposta.

A vida anda sempre para frente. Existem dores e situações que não podem ser remediadas porque o que passou não volta mais. Nós não somos os mesmos de ontem, pois nos transformamos e refinamos contínua e diariamente.

“Então, deixar ir o que não foi bom é sábio, reconfortante e quase sempre determinante para a evolução.

Bom mesmo é acessar a paz interior! Permitir-se tomar um banho relaxante antes de dormir, ouvir músicas que toquem o espírito e acalantem o corpo, ter a oportunidade de dar um beijo cheio de carinho nas nossas crianças ou adolescentes, blindar suas mentes e as nossas, vê-los dormir, olhar nos olhos de quem amamos, orar, deitar com leveza e paz para descansar o corpo exausto das intermináveis demandas que nós, reles mortais, temos que dar conta no dia a dia.

É certo que em alguns momentos da vida alguém que eu amava e confiava me machucou, traiu, humilhou, abandonou, negligenciou ou rejeitou. E certamente eu já machuquei alguém também. O jogo da vida é assim! E ninguém é imune a experimentar o amargo do fel tanto como banhar-se no mel. Extraordinário é termos liberdade e autonomia para ESCOLHER de que lado estamos, não é mesmo?

Nas andanças pela vida entendi que quando alguém é cruel, ganancioso, egoísta ou maldoso, trata-se exclusivamente dela e a dor que carrega em suas entranhas e a acorrenta, esmagando seus potenciais. E ISSO NÃO É SOBRE MIM, É SOBRE O OUTRO. Então, tomar consciência disso me libertou profundamente  para seguir adiante inteira, íntegra e escrever a minha própria história, viver com plenitude a minha jornada com todos os seus presentes e desafios, porque no final das contas, só entregamos ao mundo aquilo que realmente existe dentro da gente.

Que coisa linda é valorizarmos a cultura que passa de geração para geração e traz saberes profundos e complexos, ainda que aparentemente tão modestos como: “A beleza está nos olhos de quem vê…”, “Não jogue pérolas aos porcos…” ou ainda, “Diga-me com quem andas que eu lhe direi quem és.”

Percebe que em cada um desses saberes existe um bocadinho de perdão? 

Pensar sobre PERDÃO é fácil. Difícil mesmo é perdoar!

Mas quando finalmente perdoamos, acessamos a nós mesmos e imediatamente vivemos a GRATIDÃO por quem somos, pelos aprendizados e vitórias que de algum modo pudemos acessar em nossa jornada, ainda que enfrentando desafios, superando limitações, refazendo rotas, derramando algumas lágrimas, reinventando possibilidades, construindo alternativas, se conectando e reconectando de diferentes formas a diferentes pessoas, lugares e situações. Há tanta beleza na diversidade!

Ah, que mundo melhor teríamos se compreendêssemos o poder de CURA que há no carinho, o valor nutricional e potente da atenção, do abraço, do olho no olho, do colo, da aceitação incondicional do outro, do toque suave de mãos se encontrando, na força indescritível da união!

Se assim fosse, não nos perderíamos uns dos outros continuamente, nem tampouco daríamos ouvidos aos males que andam soltos e desenfreados por aí, porque palavras às vezes atuam como flechas certeiras no coração da gente, mas na maioria das vezes se perdem no tempo e voam no vento. Somente o amor é capaz de salvar e transcender!

Portanto, aceitar a vida com seus propósitos e desígnios, e ser melhor a cada dia é também encher o coração de otimismo, gratidão e esperança de dias melhores.  A gente não sabe de tudo, muito menos do futuro que é tão incerto. E por mais que se tenha estratégia, conhecimentos, estrutura e recursos para nortear o caminho, não há como prever o que está por vir. 

É por isso que assumir a RESPONSABILIDADE que temos na formação humana das nossas crianças é urgente, é AGORA, pois esse é o maior tesouro que podemos entregar a alguém que tanto amamos. As SEMENTES!!!

Cada um tem o seu destino, a sua história, suas dores, desafios e quanto a isso não há nada o que fazer… Mas quando entregamos ferramentas potentes para que sigam adiante tendo voz para fazer suas próprias escolhas, experimentar, construir, sentir, pensar, agir e SER, certamente o percurso fica mais intenso, proveitoso, repleto de encantamento, surpresas, conexões profundas e verdadeiras, realizações, assertividade e SIGNIFICÂNCIA!!! 

Praticar o perdão é educar para a PAZ! Ensinar a beleza da cooperação, do respeito mútuo, da empatia, da alegria da descoberta, da investigação com gentileza, afeto, disciplina, firmeza, bondade e diálogo, já dizia Montessori.

Mas olha, esses ensinamentos poderosos não são aprendidos de um dia para o outro, nem na escola. Eles são contextualizados e vividos em casa, no nosso templo sagrado de amor, união e respeito. É preciso praticar, viver, experimentar dia a dia para que de fato esses valores façam sentido nas relações da criança com as pessoas e o mundo. 

O amor genuíno aceita, acolhe, perdoa, agradece e liberta!

A Educação Consciente e Transformadora é fantástica como bússola dessa busca contínua de pais e educadores imparáveis e comprometidos em entregar sua melhor versão às novas gerações. Faz sentido para você? Pratique o perdão na sua família.

As nossas crianças merecem esse carinho, mas a criança interior que habita em cada um de nós também. Deixe fluir o amor, a gentileza e a bondade que mora dentro de você…

É preciso cuidar das pessoas para transformar o mundo, e esse cuidado começa no mais profundo seu SER.

Com amor, luz e gratidão,

Roberta Borges

Publicidade
Portal Acesse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.