Projeto Olhar Curumim ensina fotografia para surdos em Manaus

Descrição da imagem: Foto do aluno surdo do curso de fotografia. Ele está sentado em meio a outros alunos e faz um sinal em Libras. Fim da descrição.
Aulas contaram com acessibilidade em Libras (Foto: Divulgação)

Desde quando conheceu o trabalho realizado pela Associação de Surdos de Manaus (ASMAN), o produtor audiovisual e fotógrafo João Lira começou a pensar em como poderia promover a inclusão das pessoas surdas. Ao conhecer mais a fundo a comunidade surda local, Lira teve a ideia de transmitir seus conhecimentos como fotógrafo para os surdos.

A partir daí, o fotógrafo idealizou o projeto ‘Olhar Curumim‘ e para viabilizar sua ideia, inscreveu o mesmo no Edital Feliciano Lana – Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas. Para sua alegria e surpresa, o projeto foi contemplado na categoria de Artes Visuais e ele conseguiu viabilizar a oficina de fotografia com acessibilidade para 25 pessoas.

Olhar Curumim

Descrição da imagem: Foto dos participantes do curso. Fim da descrição.
Projeto Olhar Curumim reuniu 25 surdos em curso de fotografia (Foto: Divulgação)

A primeira edição do projeto aconteceu nos dias 22 e 23 de maio de 2021, e reuniu 25 pessoas surdas no Casarão da Inovação Cassina, no Centro de Manaus.

“Poucas vezes a comunidade surda tem oportunidade nos cursos profissionalizantes oferecidos, ao passo que, a maioria dos cursos não possuem intérprete de Libras para que eles possam se sentir à vontade de participar. Essa será uma iniciativa pioneira e que sem dúvida servirá de inspiração para novas iniciativas com opções de acessibilidade”, explica Lira.

Descrição da imagem: Foto do fotógrafo João Lira e do intérprete de Libras durante o curso de fotografia para surdos. Fim da descrição.
O fotógrafo João Lira acompanhado do intérprete de Libras durante aula do projeto (Foto: Divulgação)

Para o secretário de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, Marco Apolo Diniz ressaltou a importância da acessibilidade nas atividades culturais: “É muito importante que as pessoas com deficiência tenham, em condições de igualdade, cada vez mais acesso às diversas atividades e manifestações culturais do Estado. O acesso à cultura é um direito do cidadão e deve ser garantido e respeitado. A secretaria mantém uma assessoria específica para desenvolver ações de inclusão da pessoa com deficiência nos espaços que administra, para que tenham sempre uma boa experiência”, relatou Apolo.

Os interessados em saber mais sobre o projeto Olhar Curumim podem fazer contato pelo WhatsApp (92) 99988-9582 ou via direct do Instagram @joaolirafotografia.

Publicidade
Portal Acesse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.