Afinal, o que é ser mãe?

Descrição da imagem #pracegover: Foto de uma mulher com um menino. Eles estão brincando de fazer bolhas de sabão no ar. Fim da descricão.
O Dia das Mães, de algum modo, guia nossa atenção para quem somos (Foto: Pixabay)

É tão bonito ver o mundo parar, ainda que seja em diferentes datas, cada qual seguindo suas tradições e culturas para celebrar a maternidade e todas as emoções, sentimentos, virtudes e memórias afetivas representadas nessa figura essencial para a existência humana!

Dia das Mães, de algum modo, guia nossa atenção para quem somos, olhamos para a nossa história, nos conectamos às origens, nos apegamos ou desapegamos dos desencontros, das dores e desafios inerentes às relações familiares para apreciar o que é belo e bom na nossa MÃE

E especialmente, para olhar para a MÃE que escolhemos SER! Sim, essa é uma escolha e só pertence a você.

Todos temos uma história e cada qual sabe, ou pelo menos deveria saber, qual é a sua. Esta data é um convite para aceitarmos quem somos a partir da nossa ancestralidade…

Perceber, sentir e viver os valores de acordo com o que carregamos na essência daquilo que cremos e somos. E que coisa extraordinária é quando nos despimos como bebês que um dia fomos e conseguimos acessar a pureza, a ingenuidade e a bondade que há em nós para sermos melhores, e então conectar, compreender, empatizar, amar, respeitar e perdoar. Ahh, como o mundo necessita de perdão!

Creio que é nessa conduta humilde e verdadeira das nossas fraquezas e virtudes que nos empoderamos para seguir adiante como pessoas, como mulheres e mães que somos. E a partir daí, viver com plenitude e entrega à mudança que desejamos ver no mundo. Afinal, quem de nós é perfeita e digna o suficiente para atrever-se a atirar a primeira pedra, não é?

Esse encontro extraordinário faz brotar reflexões assim:

“Ser mãe é compreender que não existe receita para educar, mas infinitos caminhos que me permitem escolher com critério, consciência e sabedoria tudo aquilo que desejo entregar à minha criança. 

Tenho o poder de escolher as SEMENTES que plantarei no solo fértil e glorioso da mente dos meus filhos.

Ser mãe é acessar minhas entranhas, dores, aceitar minhas vulnerabilidades e de algum modo, honrar a mãe que tive e todas as mulheres ancestrais presentes nela. E perdoar, para seguir adiante! Esse é um grande segredo necessário para termos condições reais de ir além…

Ser mãe é carregar dentro, mas compreender que aquele pedaço da gente vai para o mundo e é dele, simplesmente assim. Aceitar, acolher e guiar. E que coisa maravilhosa é vê-lo voar e estar aqui para contemplar…

Quando vejo a minha criança, olho também para dentro de mim e para as outras mulheres da minha família. Sinto, penso, percebo, vejo nela muito do que também há em mim. O espelho de quem sou! São os fantásticos mistérios da existência!

E quando aceito que a minha criança é livre e pode ir quando quiser, ser quem é e cumprir a sua missão na Terra, me humanizo e assumo minhas limitações. E sinto-me profundamente grata por tudo o que mobilizou em mim, pelos indescritíveis aprendizados e fortes emoções que vivi tendo-a aqui, bem pertinho de mim.

Sei que em algum momento a farei sofrer, a vida às vezes é dura, até cruel, e diante do caos tudo pode acontecer…

Sim, ser mãe é dizer não em algum momento do percurso, ainda que não seja em palavras; então hei de frustrar suas expectativas ou idealizações.

E que coisa linda é poder ser inteira, verdadeira, humanizar a minha atuação na sua história e assumir minhas imperfeições e tantas limitações que também carrego em mim. O importante é que tento diariamente e incansavelmente, ser o melhor que posso para você.

Ser mãe é querer de verdade evoluir, estudar, ler, se informar, pesquisar, trocar experiências, se olhar no espelho com lealdade e aceitação das minhas vulnerabilidades, medos, inseguranças, alegrias, sonhos, desejos… E expandir o amor e a luz que carrego em meu templo sagrado. Ser gloriosa e assumir o poder feminino e DIVINO que me foi confiado. Ser melhor para mim e para você, porque viver tudo isso vale muuuito a pena, só para ver seu sorriso nascer e os seus olhos brilharem!

E não me importa se a vida um dia lhe fizer chorar, é certo que você precisa crescer. Lágrimas e desafios fortalecem! O que importa é que estarei lá para te aceitar, acolher, ouvir, cuidar e dar o colo QUE É SÓ SEU, sempre será o melhor pedaço de mim…

A força que me transformou de dentro para fora, honrou a minha existência e me fez descobrir um poder inimaginável e fantástico. E acessar a melhor sensação que existe: SER SUA MÃE!”

Desejo que honre a mãe que você é, e àquela que você tem todos os dias da sua vida. É assim e somente assim, que ensinará à sua criança a respeitar e aceitar quem você é! 

Essa jornada é desafiadora, surpreendente e repleta de adversidades, mas não conheço nada mais educativo, potente e transformador do que a relação mãe e filho.

Faz sentido para você?

Vamos juntos?

É preciso cuidar das pessoas para transformar o mundo!

Com amor e gratidão,

Roberta Borges

Publicidade
Portal Acesse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.