A importância da música no desenvolvimento das crianças

Descrição da imagem #pracegover: Foto de um menino com fones de ouvido. Ele segura um rádio acima de sua cabeça. Ele está sorrindo. Na parte superior da imagem a ilustração de notas musicais. Fim da descrição.
Especialistas apontam benefícios da música para as crianças (Foto: Divulgação)

Todo mundo gosta de música, mas nem todos conhecem a importância da música no desenvolvimento de crianças. Isso porque a música pode fazer o cérebro evoluir de um modo único, segundo relata a neuropsicóloga Catherine Loveday, da Universidade de Westminster.

Educadores e familiares de crianças, em especial as que têm alguma deficiência ou transtorno, já sentem na prática que o ensino musical contribui para seu desenvolvimento, em diversos aspectos.

De acordo com a pesquisadora, ao afetar as emoções, a música é capaz de estimular profundamente o cérebro, como nenhuma outra forma de manifestação artística. “Trata-se de um forte estímulo cognitivo e há fortes evidências de que a prática musical melhore a memória e a linguagem”, garante Loveday.

O cientista Sylvain Moreno, do Instituto Canadense Rotman, liderou uma pesquisa que avaliou o efeito da prática musical no desenvolvimento do cérebro de crianças de oito anos de idade. Elas receberam aulas gratuitas de música por um período de seis meses e foram avaliadas antes e depois.

Os testes mediram habilidades cognitivas, auditivas e de leitura. Na avaliação final, as crianças demonstraram melhora nas habilidades de leitura e eram mais capazes de conectar palavras escritas com seus sons falados – um componente crítico da alfabetização.

Além disso, foram identificadas mudanças de entonação ou emoção durante uma conversa. Os pesquisadores também monitoraram as ondas cerebrais das crianças usando técnicas de neuroimagem, o que comprovou um aumento da atividade em regiões associadas com escuta cuidadosa, fala e música.

“Desde o útero da mãe, as crianças respondem a estímulos musicais”, aponta a diretora educacional Claudia Freixedas, da Associação Amigos do Projeto Guri. Ela, que atua como gestora do Projeto Guri no litoral e no interior de São Paulo, garante que “a partir da 21ª semana de gestação, os bebês já podem perceber estímulos sonoros internos do corpo da mulher, como batimentos cardíacos, respiração e voz”.

Ainda de acordo com Freixedas, nos primeiros meses de vida, o bebê já demonstra interesse pelos sons ao seu redor e se assusta facilmente com ruídos altos. Entre os quatro e seis meses de vida, ele já começa a tentar identificar de onde vem o som e qual a fonte sonora, demonstrando grande sensibilidade auditiva. “Por isso, destacamos a importância da valorização do estímulo musical para crianças desde a primeira infância”, completa a especialista.

De acordo com a Pesquisa de Avaliação de Impacto, encomendada pela Associação Amigos do Projeto Guri, as atividades musicais incentivam e impactam de forma positiva o comportamento dos estudantes.

Isso porque, 60% dos familiares de crianças, entrevistados, declarou ter notado melhoras significativas na organização e no rendimento das crianças. Já no quesito relação com amigos e familiares, 80% dos entrevistados declararam sentir seus filhos mais sociáveis e abertos para compartilhar momentos em família.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.