Museu da Energia tem programação especial pelo Setembro Azul

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. A educadora surda Priscila Souza, durante mediação em Libras. Priscila [e uma mulher morena, de pele clara e cabelos castanhos, lisos, na altura dos ombros. Ela está usando uma calça jeans e uma blusa preta. Fim da descrição.
A educadora surda Priscila Souza, durante mediação em Libras (Foto: Divulgação)

Para comemorar o Setembro Azul, o Museu da Energia de São Paulo está com uma programação especial. O Setembro Azul comemora as inúmeras conquistas da comunidade surda.

No sábado, dia 15 de setembro, o museu contará com uma visita mediada em Libras com a educadora surda Priscila Souza. Gratuita, a atividade voltada ao público surdo irá apresentar e explorar aspectos relacionados às diferentes fontes de energia disponíveis no planeta, utilizando os conteúdos apresentados no Museu da Energia e promovendo, também, uma conversa sobre a necessidade de conservação dos recursos hídricos e ambientais.

 

Setembro Azul

Além da visita guiada, o museu conta com vídeos em Libras, disponibilizado por meio de um tablet para mediar as exposições do espaço e proporcionar autonomia aos visitantes surdos.

Um dos projetos desenvolvidos pelo setor educativo do Museu da Energia em 2018 é o de promover a inclusão de todos os públicos ao espaço, entre eles os visitantes com algum tipo de deficiência. A equipe tem trabalhado no desenvolvimento de materiais de acessibilidade e, hoje, o museu dispõe de mapas táteis de seus dois pavimentos, além da reprodução, em 3D, de objetos de acervo expostos, livro braile e placas táteis com detalhes da arquitetura do casarão, e o vídeo em libras. Todos os ambientes do Museu da Energia são acessíveis ao público cadeirante.

Os materiais acessíveis para cegos (mapa tátil, relevos e peças em 3D) foram desenvolvidos pelo setor educativo do Museu da Energia de São Paulo em parceria com o laboratório de fabricação digital do Espaço Cultural Porto Seguro – FabLab. O educativo ainda contou com o apoio da Fundação Parque Tecnológico Itaipu, que doou peças em 3D de estruturas de usinas hidrelétricas. O conteúdo em braile foi produzido em conjunto com a Fundação Dorina Nowill.

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

. Artistas com deficiência revitalizam muro de hospital

. AACD promove ciclo de conferências sobre inclusão profissional

Projeto pretende agilizar obras de acessibilidade em condomínios

 

 

Publicidade
Portal Acesse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.