Festival Nacional de Contadores de Histórias terá acessibilidade

Descrição da imagem #pracegover: Foto de dois contadores de histórias com marionetes. São dois rapazes que estão em um local com tenda colorida. Eles estão com marionetes nas mãos. Fim da descrição.
Apresentações e oficinas serão transmitidas pela internet (Foto: Divulgação)

Para marcar o Dia Nacional do Contador de Histórias, celebrado em 20 de março, 19 profissionais de diferentes regiões do Brasil estarão reunidos no 1º Festival Nacional de Contadores de Histórias, no Ciberespaço.

Contemplado pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC), com recursos da Lei Aldir Blanc, o festival terá apresentações transmitidas pelas redes sociais, além de oficinas com conteúdos que desvendam as técnicas e os encantamentos do tema.

Todas as atividades contarão com recursos de acessibilidade, como tradução em Língua Brasileira de Sinais (Libras) e audiodescrição.

“Nosso desejo é o de fomentar e difundir a arte da narração de histórias, criar um espaço de partilha e pesquisa entre artistas e público, compartilhar saberes a partir de oficinas gratuitas e manter viva a fogueira da nossa própria história a partir da contação, valorizando a nossa identidade regional, cultural e ancestral”, destaca o contador de histórias Ademir Apparicio Júnior, idealizador do festival.

1º Festival Nacional de Contadores de Histórias

Imagine mergulhar num Brasil carregado de sotaques, mistérios, sabores e aromas. Durante os sete dias de agenda, o internauta poderá conferir uma programação intensa que revisita as identidades regionais de maneira lúdica e poética.

Após o show de abertura ‘Palavra Tagarela’, sobre tradição oral e elementos do folclore com os artistas Poliana Savegnago, Allan George da Silva, Márcio Bah e Devanir Mille, o público poderá acompanhar dez apresentações, que reunirão os contadores de histórias Aline Alencar e Auritha Tabajaras (região Nordeste), Joca Monteiro e Joana Chagas (região Norte), Ciro Ferreira e Rosilda Figueiredo (região Centro-oeste), Camila Genaro e Cia ‘Ih, Contei!’ com Elton de Souza Pinheiro, Leandro Pedro da Silva e a fantoche Tifanny MeiaLoka (região Sudeste), Liz Ângela de Almeida e Lucélia Clarindo (região Sul), além de dez oficinas.

Para encerrar essa agenda caprichada, os artistas Ademir Apparicio Júnior, Fabiana Massi, Andrés Felipe Giraldo e Cimara Gomes Ferreira Fróis apresentam ‘A história de Maria Dançarina ou A menina que desafiou o demo’.

Patrimônio cultural imaterial

A arte de contar histórias é um ‘patrimônio cultural imaterial’, acentua Ademir. “Por meio das histórias relembramos nossas lendas, nossos antepassados, construímos futuro e presente. As histórias podem ser ferramentas para aprendizagens de diferentes áreas, como a geografia, a matemática, a ciência, a filosofia, e até mesmo para difusão da literatura. Os contos são capazes de nos transportar para outros espaços”, resume.

O idealizador aponta, ainda, a importância ‘singular’ para a fruição e troca entre os contadores, o público e as histórias: “É uma oportunidade de fazer com que a promoção à leitura aconteça de maneira lúdica e potente, podendo assim aproximar o ouvinte e leitor ao fantástico universo das interpretações produzidas pelas linguagens da palavra, do corpo, da voz e de tantos outros elementos, que serão combustíveis para o faz de conta acontecer na sua plenitude”.

O festival, com todo o encanto dessa arte, não poderia ocorrer em outra data. O seu encerramento em 20 de março marca a comemoração do Dia do Contador de Histórias, criado em 1991, na Suécia, com o principal objetivo reunir os contadores e promover a prática em todo mundo.

Confira a programação das apresentações:

14/03, às 14h30: Show de Abertura: Palavra Tagarela
Com Poliana Savegnago, Allan George da Silva, Márcio Bah, Devanir Mille

15/03, às 10h: Histórias Aya
Contadora: Liz Ângela Gonçalves Almeida

15/03, às 14h: História da Mala e da Cachola e o Conto: o couro do pandeiro
Contadores: Lucélia Clarindo e João Carvalho

16/03, às 10h: Cardápio de Lendas Caiçaras
Contadora: Camila Genaro

16/03, às 14h: Histórias para brincar
Contadores: Ih, Contei! (Elton de Souza Pinheiro, Leandro Pedro da Silva e a fantoche Tifanny MeiaLoka)

17/03, às 10h: O Afeto das Histórias
Contador: Ciro Ferreira

17/03, às 14h: A fruta desconhecida
Contadora: Rosilda Figueiredo

18/03, às 10h: Ê boi! A lenda do bumba meu boi
Contadora: Cia. Forrobodó de Teatro (Aline Alencar)

18/03, às 14h: A onça pintada que nasceu no pescoço da kunhataim
Contadora: Auritha Tabajara

19/03, às 10h: Atividade: A mulher que fazia chover
Contadora: Joana Chagas

19/03, às 14h: Histórias da Encantaria Amazônica
Contador: Joca Monteiro

20/03 – 14h: Encerramento ‘A história de Maria Dançarina ou A menina que desafiou o demo
Com: Tem História na [email protected]! (Ademir Apparicio Júnior, Fabiana Massi, Andrés Felipe Giraldo e Cimara Gomes Ferreira Fróis)

Confira a programação das oficinas:

15/03, às 15h: Oficina de contos afro
Ministrante: Liz Ângela de Almeida – Duração: 2h
Público-alvo: Oficina para adultos – maiores de 18 anos – Acadêmicos de pedagogia, Acadêmicos de letras, Magistério, formação de docentes

15/03, às 19h: A leitura em verso e prosa
Ministrante: Lucélia Clarindo – Duração: 2h
Público-alvo: Pessoas interessadas na arte de contar as próprias histórias, em verso e prosas, a partir dos 18 anos

16/03, às 15h: Fios da Narrativa – os recursos internos para contar histórias em diversos espaços 
Ministrante: Camila Genaro – Duração: 3h
Público-alvo: Professores, Psicólogos, cuidadores, educadores, Pais, Mães, Avós, Avôs e outros Responsáveis por Crianças que queiram ter um vínculo afetivo e duradouro através das histórias, com idade superior a 18 anos

16/03, às 19h: Arte de criar brinquedos e contar histórias
Ministrante: Ih, Contei! – Duração: 2h
Público: Livre

17/03, às 15h: Histórias na sala de aula
Ministrante: Ciro Ferreira – Duração: 2h
Público-alvo: Professores, bibliotecários, brincantes, artistas, fazedores de danuras e pessoas interessadas na arte da oralidade

17/03, às 19h: O brincante que mora em mim
Ministrante: Rosilda Figueiredo
Público-alvo: Contadores de Histórias, atores, professores, brincantes e interessados na arte da oralidade

18/03, às 15h: A arte de contar histórias
Ministrante: Aline Alencar – Duração: 2h
Público-alvo: Contadores de Histórias, atores, estudantes de teatro, professores e interessados na arte de contar histórias

18/03, às 19h: O grafismo indígena
Ministrante: Auritha Tabajaras – Duração: 2h
Público-alvo: Contadores de Histórias, atores, estudantes de teatro, professores e interessados na arte de contar histórias

19/03, às 15h: Nós, As Matintas
Ministrante: Joana Chagas – Duração: 2h30
Público-alvo: Mulheres a partir de 16 anos (estudantes, mães, avós, professoras, contadoras de histórias e mediadoras de histórias)

19/03, às 19h: A interpretação para a arte de contar histórias
Ministrante: Joca Monteiro – Duração: 3h
Público-alvo: Contadores de histórias, professores e agentes de leitura (a partir de 12 anos)

Para acompanhar acesse o YouTube, o Facebook e o Instagram.

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.