Brasil tem sua maior delegação da história no Parapan de Lima

Nesta edição dos jogos, Brasil tem representante em todas as modalidades disputadas.

Descrição da imagem #PraCegoVer: O paratleta Leomon Moreno como porta-bandeira na cerimônia de abertura dos Jogos Parapan-Americanos de Lima. Ele está segurando a bandeira brasileira e usa um agasalho amarelo com manga azul escuro. Leomon está sorrindo. Atrás dele, vemos outros atletas brasileiros. Fim da descrição.
O paratleta Leomon Moreno como porta-bandeira na cerimônia de abertura dos Jogos (Foto: Alê Cabral/CPB)

Na noite de sexta-feira, dia 23 de agosto, aconteceu a cerimônia de abertura do Parapan de Lima, no Estádio Nacional do Peru. Com a maior delegação da história no evento, o Brasil desfilou com 513 pessoas, sendo 337 paratletas, que representam o país no torneio. 

Nesta edição dos jogos, o Brasil tem representante em todas as 17 modalidades disputadas e busca repetir o feito das três últimas edições: o primeiro lugar no quadro geral de medalhas. Foi assim em 2007, em Guadalajara 2011 e em Toronto 2015. Neste último, foram obtidas 257 medalhas, das quais, 109 de ouro, 74 de prata e 74 de bronze.

Desde 1999, os atletas brasileiros já conquistaram 1.026 medalhas em Jogos Parapan-Americanos, sendo 445 de ouro, 310 de prata e 271 de bronze. 

Cerimônia de abertura do Parapan 

O conceito criativo da cerimônia foi desenvolvido por Hansel Cereza, o responsável pelo evento de abertura dos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992. 

“Os atletas paralímpicos me fizeram ser mais solidário e modificaram a minha forma de ver a vida. O principal objetivo é mudar o pensamento das pessoas com um espetáculo que trata todos como iguais”, conta Hansel. Ao todo, 500 artistas e voluntários participaram da celebração, que retratou a história do Peru.

O paratleta Leomon Moreno representou o Brasil como porta-bandeira da delegação. Considerado o melhor jogador de goalball do mundo, o brasiliense, de 26 anos, tem deficiência visual e conquistou medalha de ouro no Parapan de Toronto, em 2015, medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos do Rio, em 2016, e medalha de prata nos Jogos de Londres, em 2012. Somam-se ao seu currículo ainda dois títulos mundiais da modalidade: na Finlândia, em 2014, e na Suécia, em 2018.

“Com certeza foi uma imensa emoção passar por esse estádio todo e ter vindo na frente da minha nação. Isso me deixa muito feliz e muito emocionado, as lágrimas vêm aos olhos”, declara o atleta.

Programação do Brasil (24 de agosto) 

Neste sábado, dia 24 de agosto, o Brasil disputa nas modalidades: 

. 9h – Tiro esportivo e Judô 

. 9h30 – Futebol de 7 (Brasil x Peru) 

. 10h – Tênis de mesa e Rúgbi em cadeira de rodas (Brasil x Canadá)

. 12h – Vôlei sentado masculino (Brasil x Costa Rica) 

. 14h – Tênis em cadeira de rodas

. 15h – Atletismo e Rúgbi em cadeira de rodas (Brasil x Estados Unidos) 

. 17h – Vôlei sentado feminino (Brasil x Canadá) 

. 17h30 – Futebol de 5 (Brasil x Colômbia) 

. 18h30 – Basquete em cadeira de rodas masculino (Brasil x Peru) 

. 20h45 – Basquete em cadeira de rodas feminino (Brasil x Peru) 

. 21h – Vôlei sentado feminino (Brasil x Estados Unidos)

1º Dia dos Jogos

Descrição da imagem #PraCegoVer: Os paratletas de rugby em cadeira de rodas estão comemorando a primeira vitória no Parapan. Fim da descrição.
Jogadores celebram vitória do rúgbi em cadeira de rodas (Foto: Saulo Cruz/Exemplus/CPB)

Na sexta-feira, os paratletas de três modalidades representaram o Brasil no Parapan de Lima, todos com vitória. A primeira delas foi o tênis de mesa, com o catarinense Conrado Contessi (classe 1), que bateu o argentino Guillermo Bustamante por 3 a 1. O brasiliense Aloísio Júnior (1) aplicou 3 a 0 no americano Michael Godfrey. A mineira Marliane Santos (2-3) venceu idêntica contra a também americana Pamela Fontaine. Já Carla Maia (2-3), do Distrito Federal, garantiu uma vitória suada contra a argentina Verônica Blanco, por 3 sets a 2. Assim como o cearense Francisco Melo (8) bateu o argentino Pablo Krotsch pelo mesmo placar.

Com esses resultados, o tênis de mesa do Brasil pode garantir uma grande quantidade de medalhas neste sábado, 24. A modalidade já assegurou 11 atletas nas quartas de final, 12 semifinalistas e um finalista nas disputas.

No vôlei, o time masculino não encontrou dificuldades para atropelar a seleção do Peru. Em uma hora e um minuto de jogo, a equipe fez 3 a 0 nos anfitriões, com parciais 25/19, 25/18 e 25/18. A seleção volta à quadra às 14 horas (de Brasília), para a segunda rodada, contra a Costa Rica. 

O ponto alto do dia foi o triunfo da seleção brasileira de rúgbi em cadeira de rodas ante à Colômbia. Com 20 tries (pontos) do fluminense Júlio Rocha, nossa equipe fez 48 a 41. O jogo era importante, dado que os cafeteros são rivais diretos na briga pela medalha. O último confronto entre as duas seleções em Parapans ocorreu na decisão do bronze em Toronto 2015, a Colômbia tirou o Brasil do pódio com um doloroso triunfo por 50 a 48. 

O desafio deste sábado é um dos mais complicados. Às 14 horas (de Brasília), a equipe verde e amarela, comandada pela técnica Ana Ramkrapes, encara o Canadá, atual campeão parapan-americano, mas que vem de campanha irregular no Mundial do ano passado, na Austrália, quando terminou na quinta colocação. O Brasil não se classificou para esta competição. 

Transmissão ao vivo 

Os Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019 estão sendo transmitidos pelos canais SporTV, até o dia 1º de setembro. Estão previstas cerca de 80 horas de cobertura do maior evento de esporte adaptado do continente.


Portal Acesse

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.