15 coisas que você precisa saber sobre acessibilidade

Descrição da imagem #pracegover: Foto de uma escada, vista pela lateral. Ela tem uma cadeira elevatória. Fim da descrição.
Especialista dá dicas para garantir a acessibilidade residencial (Foto: Divulgação)

Você sabe o que é Desenho Universal? Separamos 15 coisas que você precisa saber sobre acessibilidade residencial que vão garantir conforto e segurança na sua casa!

Acessibilidade residencial

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Um banheiro com acessibilidade para pessoas com deficiência física. Fim da descrição.
Adaptação no banheiro pode garantir conforto e segurança (Foto: Divulgação)

Identificações personalizadas em relevo para atender as necessidades de pessoas com deficiência visual; recursos auditivos para sinalização dos ambientes; rampas no lugar de escadas e degraus; barras de apoio…

São muitos os recursos disponíveis no mercado para garantir a acessibilidade residencial.

Segundo a arquiteta e urbanista Helena Degreas, que é colunista do Portal Acesse, a maioria das pessoas já sentiu algum tipo de dificuldade dentro de casa. “Quem nunca teve que deitar no chão para ligar um aparelho na tomada ou escorregou em piso liso e molhado?”.

Segundo a profissional, o que mais preocupa no que se refere a falta de acessibilidade residencial é o fato de as pessoas se habituarem a situações como essa.

“Nós nos adaptamos a todas essas situações e às condições impostas pelos objetos, ambientes e espaços, mesmo que isso gere, em muitos casos, desconforto, quando o correto seria exigir que o ambiente se adapte às necessidades e características físicas de cada um.”

Outra questão importante é que projetistas, em geral, utilizam medidas padronizadas no desenvolvimento de seus projetos, o que é errado, já que as condições de conforto estão diretamente ligadas às características físicas das pessoas. “Vivemos rodeados de objetos industrializados, mas, para que a acessibilidade residencial se concretize, designers, arquitetos, engenheiros, urbanistas, paisagistas e decoradores precisam levar em conta critérios como estatura, peso, destreza e idade dos clientes, por exemplo.”

Desenho Universal

Para Helena Degreas, é preciso incorporar o conceito de usabilidade, e o primeiro passo será dado quando todos compreenderem que é preciso projetar para pessoas reais, permitindo a adaptação de produtos, ambientes, espaços e cidades, o que podemos chamar de Desenho Universal.

“Trata-se da busca da inclusão nos diversos segmentos sociais por meio da facilitação de uso de produtos/meios/espaços, consolidando, assim, os pressupostos existentes na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Entende-se por universal em seu acesso todo produto que torna possível a prática das atividades e tarefas cotidianas do ser humano”, constata a arquiteta.

Os conceitos de Desenho Universal são mundialmente adotados por qualquer programa de acessibilidade plena, e ele se assume como instrumento privilegiado para a concretização da acessibilidade e, por extensão, de promoção da cidadania e inclusão.

Dicas para garantir a acessibilidade residencial

1. Cuidado com móveis e demais objetos, que devem apresentar cantos arredondados, especialmente se localizados próximos a áreas de circulação principal;

2. Mantenha áreas de circulação amplas e livres de objetos, com 90 centímetros de área de giro);

3. Use pisos antiderrapantes, em especial nas áreas úmidas, como banheiros, lavanderias, cozinhas, áreas de serviço, varandas e demais espaços externos. Os pisos devem ter superfície regular, firme, estável sob qualquer condição, evitando a trepidação em dispositivos com rodas;

4. Substituir degraus por rampas com declividades corretas e corrimãos para apoio;

5. As portas devem ter um vão livre maior ou igual a 80 centímetros, para passagem de cadeira de rodas;

6. As maçanetas devem ser de alavanca e as fechaduras devem ser instaladas acima delas, para facilitar a visualização;

7. Tapetes, capachos e afins deverão ser fixados no chão para evitar escorregões ou impedimento de circulação de pessoas em cadeira de rodas;

8. Tomadas precisam ser colocadas em pontos mais altos;

9. Escolha torneiras de monocomando ou misturadores com dois volantes com 1/4 de volta;

10. Opte por uma ducha manual e com controle de fluxo;

11. Instale um banco articulado na área de banho;

12. Escolha peças sanitárias adequadas e lavatórios suspensos;

13. Posicione espelhos inclinados em 10 graus em relação ao plano vertical;

14. Bancadas, mesas, pias, armários e gaveteiros devem ser instalados em alturas adequadas;

15. Mantenha uma boa iluminação de teto e também de piso (bordas de paredes), incluindo degraus de escadas, para orientação noturna.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.