A equoterapia e o Covid-19

Saiba como realizar a prevenção do coronavírus nos centros de equoterapia.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Uma mão está tocando o focinho de um cavalo marrom. Fim da descrição.
Especialista fala sobre a importância de prevenir o coronavírus nos centros de equoterapia (Foto: Rebecca Martins)

Muitos centros de equoterapia estão enfrentando a pandemia do Covid-19 e nesse momento é necessária a prevenção da equipe, praticantes e familiares.

Covid19 – coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/2019, após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (Covid-19). A maioria das pessoas se infectam com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1. A pandemia iniciou na China, tem se espalhado no mundo e agora no Brasil também. (Ministério da Saúde)

E como realizar a prevenção nos centros de equoterapia…
Segundo as orientações de cada governo, parcerias e convênios, alguns centros de equoterapia já suspenderam os seus atendimentos e outros continuam atendendo com prevenção e orientação às famílias das pessoas com deficiência.

Ainda de fato, não sabemos como funciona a legislação na continuidade do repasse de verba para os convênios e parcerias com as prefeituras, uma situação dependente de contrato direcionado a cada prefeitura, estado ou até mesmo na união a respeito de uma pandemia, deixando os centros de equoterapia preocupados nos aspectos financeiros, porém algumas prefeituras já suspenderam os atendimentos devido a proliferação do Covid-19.

Nosso trabalho da equoterapia é com contato direto e manuseio da pessoa com deficiência, sendo assim temos contato com secreções, saliva, roupas, mãos, espirros, entre outros. Vale ressaltar que a transmissão é fácil e precisamos tomar o cuidado redobrado.
Mesmo que seja uma ambiente aberto, é propício as transmissões devido ao contato direto, necessitando de orientações e prevenções.
Seguem algumas orientações de prevenção aos centros que não tiveram suas atividades suspensas:

1- Orientação às famílias sobre o COVID-19, uma vez que muitas são leigas de informações e existem fakes e inverdades sobre a transmissão. Contudo sobre a importância da higiene e manter-se afastados de aglomerações;

2- Avaliar com a equipe os casos diagnósticos de maior vulnerabilidade em saúde para a manutenção do atendimento, como casos motores graves, cardíacos, diabéticos e respiratórios;

3- Evitar a alimentação do cavalo pelo praticante sem higienização;

4- Proporcionar higienização constante das mãos da equipe, praticantes, entre outros locais que forem necessário com álcool em gel ou água e sabão;

5- Higienizar mantas, cilhões, rédeas, entre outros equipamentos após cada atendimento na equoterapia, evitando mantas de tecido ou colocando alguma forragem para melhor higiene;

6- Buscar informações antes do atendimento se o praticante ou familiar da pessoa com deficiência se encontra com algum sintoma voltado a transmissão do vírus, como tosse, febre, entre outros. E se o praticante ou a família tiver com algum sintoma característicos, não atender;

7- Utilização de materiais de segurança como máscaras e óculos de proteção, porque todos nós sabemos na equoterapia que secreções dos praticantes como espirros e corizas são constantes no nosso atendimento e temos contato direto com esses sintomas, até mesmo nos casos de sialorréia;

8- O equoterapeuta assim que chegar em sua residência já colocar sua roupa e material de equitação para higienização.

Na dúvida, não atenda, precisamos preservar a vida humana!

Portal Acesse

1 COMMENT

  1. O Melhor caminho é a suspensão das atividades… No meu caso mesmo muitos dos profissionais voluntários atuam no depto de Saúde e trabalham direto em postos de saúde, aumentando o risco de contágio…muitas de nossas crianças apresentam saúde fragilizada e, assim sendo se torna uma total irresponsabilidade continuar com os atendimentos…TDS estão parando…pq continuarmos? Estamos em um processo de acreditação de nossa atuação e colocamos isso em cheque pois TDS estão parando, entidades, escolas etc… Não seremos nós responsáveis por transmitir essa doença aos nossos pequenos… A coisa é séria….e higienizar mantas e utensílios? As mantas só serão totalmente higienizadas se lavadas…haja estrutura, disposição e álcool gel…coloquemos as mãos em nossas consciências!! É sério!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.