Serviir: conheça o serviço que conecta pessoas surdas e ouvintes

Solução oferece tradução das conversas entre surdos e ouvintes, por meio de intérpretes de Libras.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Arte com a imagem do contorno da palma de uma mão. A imagem tem fundo laranja e a mão tem contorno bege. Fim da descrição.
Serviço oferece tradução de conversas entre surdos e ouvintes (Foto: Reprodução)

Você já pensou nas dificuldades que pessoas surdas têm para se comunicar com ouvintes? Seja para uma consulta, uma entrevista de emprego ou para comprar algo, são muitas as barreiras de comunicação enfrentadas. Daí nasceu a Serviir, uma solução para intermediar conversas entre surdos e ouvintes, por meio de intérpretes de Libras

Todo o contato é feito de forma remota, por meio de um canal de comunicação online. Desta forma, é possível garantir a independência e a liberdade de escolha dos surdos.

Segundo diretor comercial da Serviir, Erasmo Almeida, o projeto nasceu de um desejo pessoal em construir um negócio que tivesse propósito. “Não poderia se tratar de um negócio puramente comercial, o desejo era de fazer algo maior, algo que fosse ao encontro de necessidades específicas de uma população que vive, muitas vezes, às margens da sociedade”, explica ele, que já contava com a expertise na área de inovação e tecnologia.

A partir disso, ele se aliou a um grupo de trabalho formado por surdos e especialistas em Libras para criar a Serviir. Desde então, eles vêm transformando a vida de pessoas surdas.  

A tecnologia Serviir

Com abrangência nacional, a plataforma Serviir foi idealizada em 2019, e lançada no início deste ano. Sua operação conta com uma equipe de intérpretes de Libras, que traduz a conversa entre surdos e ouvintes durante uma vídeo interpretação.

Apesar de ter sido idealizada para atender apenas o segmento da saúde, a Serviir viu a necessidade de ampliar sua atuação. “As pessoas precisam se comunicar em todas as áreas. Por isso, consideramos a importância de oferecer o atendimento de acordo com as necessidades e interesses dos surdos e também das empresas, que precisam estar preparadas para atender esse público”.   

Apesar de ser uma novidade, o serviço já está recebendo elogios da comunidade surda. “Desde o início dos atendimentos, temos sentido grande apoio dos surdos e, a cada dia, mais pessoas querem saber quem são nossos parceiros e como usar o serviço”, completa Erasmo. 

Como utilizar o serviço?

O serviço é disponibilizado por meio de qualquer dispositivo móvel ou computador conectado à internet. Para acessar, basta acessar o site da Serviir, buscar um parceiro e se cadastrar. Outra opção é abrir o chat de vídeo. 

“Existem duas modalidades de serviço. O surdo pode fazer contato gratuitamente com as empresas cadastradas no nosso sistema. O surdo também pode assinar um pacote mensal de minutos, de acordo com seus interesses, para se comunicar com quem quiser e na hora que desejar”, explica Erasmo.

Entre os parceiros da Serviir estão a Farmadelivery; a Nature Healthy vitaminas – que disponibilizou uma campanha com 35% de desconto para os surdos; o Hospital Santa Marcelina; e o Hospital Neomater.  

O grupo está finalizando contratos com importantes instituições localizadas em outras cidades e espera alcançar, no primeiro semestre, mais de 100 novos parceiros, ampliando ainda mais a comunicação dos surdos com o mundo.   

Entre as ações da Serviir, está a realização de eventos para a comunidade surda. O próximo evento será realizado nesta quinta-feira, dia 20 de fevereiro, em sua sede, em São Paulo. A empresa vai promover um bate-papo sobre saúde e sexualidade, com transmissão no Facebook. Quem quiser participar presencialmente pode se inscrever gratuitamente no link do evento

Comunidade surda 

Segundo dados do último Censo do IBGE, no Brasil existe cerca de 10 milhões de surdos, o que equivale a 5% da população. No mundo, são aproximadamente 360 milhões de pessoas surdas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Estima-se que, até 2050, esse número cresça para 900 milhões de pessoas em todo o mundo.

Mas, apesar dos números, a surdez é considerada uma deficiência invisível, já que não há como identificar uma pessoa é surda por sua aparência física.

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.