Biblioteca Nacional promove oficina inclusiva para crianças no DF

Atividades serão coordenadas pela escritora Dinorá Couto Cançado, especialista em inclusão e acessibilidade.

0
87
Descrição da imagem #PraCegoVer: Uma prateleira de madeira com vários livros infantis. Fim da descrição.
Oficina inclusiva terá roda de leitura e outras atividades (Foto: Divulgação)

No próximo domingo, dia 28 de julho, a Biblioteca Nacional irá promover uma oficina inclusiva para crianças em Brasília (DF), com a escriora Dinorá Couto Cançado.

Com duas horas de duração, a oficina Corrida de Compreensão Leitora será realizada no Espaço Infantil da Biblioteca Nacional, para crianças com idade entre 7 e 11 anos. Pais e acompanhantes também podem participar da atividade, que é gratuita e começa às 10 horas. 

Oficina inclusiva

Segundo Dinorá, que tem deficiência física, o evento é voltado a todos com a proposta de promover uma conversa sobre os livros. “Descobri esse método numa feira de livros em que mal conseguia andar. Não sei abordar as pessoas para comprar meus livros, mas sei acionar a curiosidade das crianças”, revela.

A atividade contará ainda com performances teatrais, adivinhações e brincadeiras relacionadas a contar histórias.  

Isso com a ambição de produzir inclusão ao reunir todas as pessoas. “Inclusão acontece quando a gente junta pessoas com diferentes capacidades e descobre que todo mundo é igual”, completa Dinorá.

Encenações especiais

Descrição da imagem #PraCegoVer: A escritora Dinorá Couto Cançado durante uma sessão de autógrafos de seu livro. Ela está sentada e tem uma moça em pé, ao seu lado, recebendo o livro das mãos da escritora. Dinorá é uma mulher morena, de pele clara e cabelos castanhos, curtos. Ela está vestindo uma camisa verde e sorri. A moça ao lado dela é morena, de pele clara, e cabelos castanhos cacheados. Ela veste uma camiseta preta com uma ilustração branca. Fim da descrição.
A escritora Dinorá Cançado durante sessão de autógrafos (Foto: Reprodução/Facebook)

No Espaço Infantil, dois títulos da autora – “Lango e Tixa: Papo que espicha” e “E eu sou isto, vovó?” – ganharão no domingo encenações feitas por pessoas com deficiência visual, que têm diferentes graus de perda visual. 

O trajeto da professora passa também pela criação da Academia Inclusiva de Autores Brasilienses, instituição itinerante que surgiu em 2017, e já conta com mais de 500 membros, entre escritores videntes e com deficiência visuais, todos unidos pela literatura. 

Na atividade de domingo, os participantes poderão manusear livros em braille, com tipos maiores e ilustrações em alto relevo. “Vamos acabar no Guiness Book porque somos uma academia itinerante e viajamos o mundo atrás de membros comprometidos com a proposta”, explica Dinorá, que está de malas prontas para Washington e Nova York, onde vai divulgar o trabalho da entidade.

Autora da série infantil Receita Saudável, trilogia com os títulos: Paçoca de Avô, Travessuras e A pipa que tomou banho, Dinorá realizou estudos de pós-graduação na área de inclusão, democracia participativa e movimentos sociais, além de ter sido premiada pela ONU.

Fonte: Agência Brasília

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.