Movimento ‘Eu empurro essa causa’ realiza manifestações neste fim de semana

Manifestações pedem mudança nos critérios de concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC) concedido às pessoas com deficiência.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Logo do movimento 'Eu poio essa causa', formado por um círculo , colorido, que tem cinco mãos que estão segurando o punho do outro, formando uma espécie de corrente humana. A imagem tem fundo azul. Fim da descrição.
Movimento realiza manifestos em diversas cidades do país (Imagem: Reprodução)

O movimento ‘Eu empurro essa causa‘, uma manifestação nacional por mudança nos critérios de concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC) concedido a pessoas com deficiência, realiza manifestos em diversos, neste fim de semana.

As manifestações serão realizadas no sábado, dia 16 de fevereiro, a partir das 9 horas, e você pode conferir os locais no Facebook do movimento ‘Eu empurro essa causa’.

 

Movimento ‘Eu empurro essa causa’

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato quadrado. Logo do movimento 'Eu poio essa causa', formado por um círculo , colorido, que tem cinco mãos que estão segurando o punho do outro, formando uma espécie de corrente humana. Abaixo estão os símbolos de todas as deficiências. Fim da descrição.Idealizado por Dayane Cruz, líder popular na luta pelos direitos das pessoas com deficiência, o movimento ‘Eu empurro essa causa’ vem ganhando cada vez mais apoio e adquirindo novas lideranças em diversas cidades do pais. “Temos como objetivo lutar pela melhoria no BPC em relação à renda per capta por pessoa, e lutar pela inclusão e pela acessibilidade”, explica Dayane, por meio da página do movimento no Facebook.

 

Benefício de Prestação Continuada

Atualmente, para ter direito ao BPC, é necessário que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor que um quarto do salário-mínimo vigente. Ou seja, cerca de 238 reais, valor considerado extremamente baixo, frente às necessidades das pessoas com deficiência.

Para o senador Flávio Arns (Rede-PR), que declarou apoio ao movimento, outro ponto a ser melhorado é a extensão do benefício a todas as pessoas com deficiência, independentemente de serem da mesma família. Hoje, se uma mãe tem dois filhos com deficiência, que vivem na mesma casa, o segundo não recebe o BPC, já que o valor do benefício do primeiro filho passa a ser interpretado como renda familiar e, dessa forma, o grupo não se enquadra no corte de renda menor que 1/4 do salário-mínimo.

“As pessoas com deficiência são em número bastante grande e com necessidades muito diferenciadas. Uma pessoa com deficiência pode ter 20 anos de idade e ainda ser totalmente dependente de um cuidador. Então, essa necessidade inclusive já está na lei e elas estão enfatizando isso para que essa descrição da necessidade possa ser objeto da concessão do BPC”, afirma Arns.

 

APAE oferece pós graduação em saúde mental e educação inclusiva

CadÚnico: Idosos e pessoas com deficiência devem se cadastrar

Brasileiros criam kit para mover a cadeira de rodas por comandos faciais

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.