APAE reforça campanha sobre inclusão na educação

Organização defende o cumprimento da lei que proíbe discriminação de crianças e adolescentes com deficiência nas escolas.

0
549
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Uma jovem com síndrome de Down, está sentada em sua carteira, na sala da aula. Ela é morena, tem pele clara e cabelos castanhos, que estão amarrados. Ela usa óculos e está sorrindo. Fim da descrição.
Campanha da APAE DE SÃO PAULO conscientiza sobre a inclusão na educação (Imagem: Reprodução)

O Governo do Estado de São Paulo promulgou a lei que proíbe a discriminação a crianças e adolescentes com deficiência em todas as instituições de ensino, públicas ou particulares, do estado, promovendo a inclusão na educação.

O texto, que proíbe que as escolas recusem a matrícula de alunos com qualquer tipo de deficiência ou doença crônica, vem de encontro com a campanha Educação Inclusiva, lançada pela APAE DE SÃO PAULO para mobilizar a sociedade sobre a importância de crianças e jovens com deficiência intelectual terem acesso à escola regular e ao ensino de qualidade.

 

Inclusão na educação

A ação foi idealizada pelo Núcleo de Políticas Públicas e Advocacy da Organização para informar à população de que existe um canal de denúncias para situações de violação de direitos contra pessoas com deficiência intelectual no ambiente escolar, como discriminação, dificuldade de acesso, falta de apoio e material escolar inadequado.

Na capital paulista, as denúncias devem ser feitas pelo telefone (11) 3913-4015 e serão direcionadas à Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência.

“A Lei Brasileira de Inclusão garante o direito dos alunos com deficiência frequentarem a escola regular. É preciso garantir este direito por meio de um novo paradigma. A cultura de denúncia para casos de discriminação nas escolas nos parece um bom caminho”, afirma a superintendente-geral da APAE DE SÃO PAULO, Aracélia Costa.

A campanha, concebida pela agência Z515, conta com um filme de 45 segundos e anúncios impressos, e segue o conceito de que as escolas que fecham as portas para pessoas com deficiência intelectual estão contra a lei e dando uma aula de intolerância.

Aracélia Costa também ressalta que é fundamental não permitirmos retrocessos na conquista de direitos das pessoas com deficiência e garantir que elas estejam incluídas, de fato, na escola. “Com os dados levantados por meio das denúncias será possível ter uma visão mais completa deste cenário e desenvolver ações de incidência”, conclui.

Assista ao vídeo da campanha!

 

Pintores com as mãos e os pés apresentam mostra em São Paulo

Senado passa por obras de acessibilidade para receber Mara Gabrilli

Jovem autista supera preconceito e se forma em medicina  

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.