A psicopedagogia no desenvolvimento da pessoa com deficiência

Entenda como a psicopedagogia atua no desenvolvimento das pessoas com deficiência.

0
1173
Descrição da imagem #PraCegoVer: Psicopedagoga durante atendimento a um paciente com deficiência intelectual. Juntas, elas estão fazendo uma arte. Fim da descrição.
A psicopedagogia é fundamental no desenvolvimento de pessoas com deficiência (Foto: Divulgação)

A psicopedagogia é uma ciência aplicada que consiste na unção da pedagogia e da psicologia na abordagem da construção do processo cognitivo e o desenvolvimento da aprendizagem da pessoa com deficiência, devido às abordagens metodológicas e direcionamentos.

Normalmente, o psicopedagogo realiza uma anamnese de estudo de caso para auxiliar na construção de um prognóstico de intervenções aos quais as queixas sejam trabalhadas de forma a auxiliar no processo de desenvolvimento da aprendizagem da pessoa com dificuldades, distúrbios de aprendizagem ou deficiência. Mas nesse caso é uma intervenção em grupo, ao qual atividades elaboradas fazem parte de todo o contexto da aprendizagem.

Hoje, este profissional auxilia diretamente em escolas, setores públicos, empresas, clínicas entre outras abordagens. Mas existe uma psicopedagoga que utiliza a intervenção terapêutica como auxílio técnico em oficinas direcionadas às pessoas com deficiência no Centro Dia Helen Keller que atua na área da assistência social em Carapicuíba (SP).

O Centro Dia Helen Keller é uma instituição sem fins lucrativos que atualmente atende 160 pessoas com deficiência do município de Carapicuíba, oferecendo diversas atividades em cunho de um centro de convivência e não clínico.

 

Oficina de psicopedagogia

A pedagoga e psicopedagoga Andreza Melo Boldrin, atuante na Hípica Santa Terezinha, na Clínica de Psicologia e Psicopedagogia em Osasco e no Centro Dia Helen Keller, enfoca na importância das pessoas com deficiência trocarem experiências entre si nas oficinas psicopedagógicas direcionadas.

Nas oficinas os objetivos são focados nas necessidades educacionais especiais, sociais e emocionais, em abordagens e direcionamentos na construção do processo da aprendizagem e convivência social. Nesse projeto as pessoas com deficiência apresentam associações de quadros motores, cognitivos ou comportamentais.

A pessoa com deficiência é trabalhada como um todo de acordo com as suas potencialidades e para o desenvolvimento nos aspectos motores, comportamentais, emocionais e cognitivos. É uma intervenção terapêutica, também! É uma oficina! Mas com um profissional especialista na área da psicopedagogia que através dos seus direcionamentos consegue alcançar objetivos importantes no desenvolvimento da pessoa com deficiência, partindo da proposta do centro de convivência e plano de trabalho da instituição na assistência social.

Através das oficinas psicopedagógicas os usuários têm a oportunidade de se interagirem com o grupo, trocarem experiências, superarem limitações, aprendizagens lúdicas, promovendo não só o bem-estar na construção dos objetos das oficinas, mas a concretização do produto final, através de sua dedicação e potencialidade.

 

Os resultados da oficina de psicopedagogia

É importante ressaltar que tudo depende da forma como se é organizada a oficina.

O objetivo é proporcionar a construção de aprendizagens cognitivas, sociais e organizacionais, de acordo com a limitação dos usuários nas atividades propostas.

Embora a instituição tenha um trabalho de cunho social e centro de convivência, a oficina psicopedagógica proporciona vários eixos de aprendizagens desde sociais, das regras de convivência, respeito ao próximo e compreensão. Além de experiências sensoriais e motoras importantes e pertinentes nas atividades do dia a dia.

Numa oficina psicopedagógica, mesmo que para os leigos acaba soando como artesanato, existe uma gama de objetivos que se consegue alcançar dentro do contexto de aprendizagem global, como: coordenação motora grossa e fina, noção temporal, noção espacial, compreensão, discriminação de cores e texturas, organização, respeito ao próximo, memória, criatividade, interação, socialização, atenção, concentração, entre outros.

Lembrando que os objetivos interpelam num contexto de objetivos mais amplos de aprendizagem global.

O tema e a metodologia aplicada são elaborados de acordo com a necessidades educacionais e sociais especiais dos usuários, favorecendo as construções do aprendizado coletivo.

As atividades propostas são elaboradas cuidadosamente, com planejamento e de acordo com a potencialidade do assistido, afinal propor atividades ao qual a frustração seja maior que o aprendizado, deixa de ser uma oficina prazerosa. O bem-estar é fundamental para a construção de um trabalho ao qual demanda aprendizagens sociais importantes.

O que é certo para um, pode ser errado para o outro. Mas, a exatidão se apropria no respeito da adversidade.

“Não podemos viver num mundo de modelo único! Porque o modelo único não contempla as adversidades, só acaba embutindo um sistema inexistente.”

 

APAE reforça campanha de inclusão na educação

Pintores com as mãos e os pés apresentam mostra em São Paulo

Jovem autista supera preconceito e se forma em medicina  

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.