O manejo do cavalo na equoterapia

Entenda os cuidados necessários para manter os cavalos de equoterapia.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato quadrado. A equoterapeuta Eliane está ao lado de um cavalo branco. Eles estão em uma área verde. Eliane é uma mulher morena, de pele clara e cabelos lisos, longos e castanhos. Fim da descrição.
Entenda a importância do manejo do cavalo na equoterapia (Foto: Augusto Moraes)

O cavalo de equoterapia necessita de cuidados e manejo especial. Afinal, exerce a missão auxiliadora no processo de  habilitação e reabilitação da pessoa com deficiência.

Além de tudo esse animal é considerado o amigo do praticante, da equipe, da família e de todo o setting terapêutico. E os cuidados com esse animal, são imprescindíveis para a qualidade do atendimento da pessoa com deficiência.

A família se torna grata ao animal que atende o seu ente e a equipe zela pela saúde e o bem estar desse para ter muitos anos esse amigo na intervenção terapêutica.

O treinamento do cavalo para equoterapia demora aproximadamente seis meses, porém uns dois anos para que exerça um trabalho efetivo e aprimorado. Nesse treinamento abordamos desde o trabalho com objetos, materiais pedagógicos, equipamentos de equitação e equoterapia, transposições em seu dorso, movimentos mais bruscos, sons, barulhos, entre outros.

Segundo Guilherme Martinelli Pereira, tratador da Hípica Santa Terezinha o manejo com os animais da equoterapia são de extrema importância, devido a qualidade no atendimento posteriormente. Cocheira limpa, água fresca, feno (volumoso), ração (suplemento), nos devidos horários sempre observando o comportamento dos animais, se estão bem, aceitando a alimentação, incomodados com alguma coisa e apresentando características de saúde ou doença. A higiene do animal também é fundamental.

Portanto, é necessário cuidar muito bem dos nossos animais da equoterapia, são vários detalhes aos quais precisamos prestar a atenção o tempo todo.

O cavalo é um animal de porte grande, forte, porém precisa de muitos cuidados específicos que zelem pelo seu bem estar e cuidados.

Cólica é algo muito comum para os equinos que vivem em cocheiras, principalmente com a inserção de ração (suplementos), também é um causador de morte de alguns animais. Portanto, quando isso acontece se faz necessário a intervenção de um veterinário emergencialmente para a reversão dos sintomas e do não agravamento da patologia.

Garantir a segurança do nosso amigo e sua saúde é fundamental.

Todos já escutaram, cavalo come!

Sim, cavalo come e muito! Mas não vive só de comida ou de colocar em um cantinho com um pouco de capim! Cavalo precisa de cuidados veterinários, vermifugação, ferrageamento, alimentação de qualidade, um lugar seguro e confortável para o seu manejo com espaço. E principalmente cuidados diários importantes.

E um cavalo de equoterapia, demanda de mais cuidados ainda, porque ele trabalha para habilitação e reabilitação, cria vínculos importantes para esse processo. E o sucesso da equoterapia muitas vezes depende da qualidade de vida e treinamento do animal.

Repasse diário em atividades de condicionamento físico, frequência cardíaca, alimentação balanceada e em estímulos externos de embasamento técnico de trabalho na equoterapia.

E o mais importante, muito afago, carinho, amor, porque o cavalo de equoterapia não conhece a violência e nem pode conhecer pelo trabalho que exerce.

Então quando se pensa em ter um cavalo, não pense somente em um cantinho para tê-lo com um pouco de capim e deixa lo sozinho achando que o mesmo consegue sobreviver naturalmente sem cuidados adequados… Cavalo demanda de um custo financeiro alto! E por isso que os centros de equoterapia têm custos altos! Além dos profissionais especializados para o atendimento nas sessões!

Às vezes escuto de famílias que têm filhos na equoterapia… vou comprar um cavalo para ele, mas será que o cavalo é o adequado… treinado… para este fim… E o cavalo come e também precisa de cuidados, ser treinado e repassado o tempo todo por um profissional especializado! Se ficar sozinho, pode morrer e quando for monta lo estará com energia e vícios, porque este não foi repassado e treinado adequadamente. Além de tudo, para cada praticante que nele monta é estudado a biomecânica do animal e o seu passo. O animal além de treinado precisa ser adequado para a patologia!

Têm muitos equinos que apanham porque não foram treinados adequadamente e têm vícios e às vezes apanham por inocência de não compreenderem o comando das pessoas. Animal tem energia se não montado! Precisa de atenção! Na força ninguém o domina e sim na reciprocidade, amizade e cumplicidade!

Ou também escuto, fui num hotel fazenda e o meu filho montou sozinho! Nem sempre o cavalo de outros lugares tem o mesmo treinamento que um cavalo de equoterapia, pode ser bonzinho, mas também têm suas reações, cuidado! Porque cavalo tem reações, assustam, mesmo o mais bonzinho…e a equipe de equoterapia é especializada para fazerem as retiradas de emergência e garantir a segurança do praticante.

 

Saiba quais os cuidados necessários para os cavalos de equoterapia:

1. Verificar se a ração não apresenta características diferentes como cor, mofo e cheiro;

2. Repassar o trato dos animais como a ração (suplemento) sempre respeitando os seus devidos horários;

3. Observar a mastigação dos animais (problemas de dentição), a recepção do volumoso e do suplemento. Alguns volumosos apresentam características diferentes e tem boa receptividade dos animais, sendo assim troque o fornecedor ou tipo de feno, isso causa o emagrecimento. É importante comprar o volumoso com o perfil para o paladar dos cavalos;

4. Manter as cocheiras limpas e higienizadas com a retirada de fezes, urina e manter sempre o cocho limpo, evitando doenças de casco, alergias e contaminação;

5. Atentar-se constantemente ao comportamento do animal para prevenção ou imediata intervenção de doenças com a medicação quando necessário;

6. Respeitar o tempo adequado de ferrageamento do animal para evitar claudicações;

7. alocar o animal em local arejado, confortável e que não tenha nenhum perigo de se machucar;

8. Encilhar o animal com equipamentos confortáveis e de acordo com a atividade programada com segurança;

9. Evitar barulhos e situações que exponha o animal ao stress;

10. Colocar somente o peso em seu dorso de acordo com o seu peso corpóreo, sendo assim 20% (vinte por cento) do peso relacionado ao animal. Animal irritado, implica em mal comportamento;

11. Higienizar os cavalos diariamente para evitar doenças e também alergias nos praticantes, como os materiais utilizados nas sessões e encilhamentos;

12. manter o local sempre livre de insetos hematófogos e venenosos;

13. Vacinação anual de acordo com a solicitação da Defesa Agropecuária;

14. Exames a cada dois meses de AIE (Anemia Infecciosa Equina) e MORMO;

15. Fornecer o verde ou volumoso a vontade para o animal como também o sal mineral para a reposição de nutrientes;

16. Proporcionar medicação quando necessário ao animal de acordo com as prescrições do veterinário para não colocar o animal em risco;

“Cuidar do nosso amigo da equoterapia é imprescindível e importante para a qualidade do serviço na equoterapia.”

 

Benefícios do atendimento em grupo terapêutico coletivo

Fotógrafa adota gato cego e faz sucesso na web

Professor cria mapas com textura para alunos cegos

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.