10 coisas que você precisa saber sobre deficiência intelectual

0
1807
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Um rapaz e uma moça, ambos têm síndrome de Down. Eles estão abraçados. A moça está em primeiro plano e o rapaz está atrás dela. Ela é morena, tem a pele clara e o cabelo castanho, liso, na altura dos ombros, e está usando uma camisa xadrez e um lenço, em forma de tiara, no cabelo. O rapaz é moreno, tem pele clara, e está usando um boné verde e uma jaqueta preta. Ele beija a bochecha da moça. Fim da descrição.
Autonomia é fundamental para garantir a independência de pessoas com deficiência intelectual (Foto: Divulgação)

Há muitos mitos sobre a deficiência intelectual e a participação das pessoas com esta deficiência na sociedade. Além do preconceito, há um estigma de que por ser uma deficiência intelectual, ou seja, cognitiva e que interfere no aprendizado, a pessoa não é capaz de realizar atividades e de exercer a sua cidadania. Em parceria com a Dra. Danielle Christofolli, médica responsável do Ambulatório de Diagnóstico, e Mônica Rocha, assistente social da APAE DE SÃO PAULO, elaboramos este texto com o objetivo de contribuir para a promoção da igualdade e a inclusão da pessoa com deficiência intelectual. Confira abaixo 10 coisas que você precisa saber sobre a deficiência intelectual.

 1. O que é deficiência intelectual?

“A deficiência intelectual, segundo a Associação Americana da Deficiência Intelectual e do Desenvolvimento (AAIDD), caracteriza-se por um comprometimento do intelectual, associado a limitações adaptativas em pelo menos duas áreas de habilidades (comunicação, autocuidado, vida no lar, adaptação social, saúde e segurança, uso de recursos da comunidade, determinação, funções acadêmicas, lazer e trabalho), que ocorrem antes dos 18 anos de idade”, explica Dra. Danielle Christofolli, médica do Ambulatório de Diagnóstico da APAE DE SÃO PAULO. No dia a dia, isso significa que a pessoa com deficiência intelectual tem dificuldade para aprender, entender e realizar atividades comuns para as outras pessoas, mas nada que a impossibilite de avançar no que lhe é proposto, desde que tenha apoios necessários;

2. Deficiência intelectual não é doença mental

Deficiência intelectual e doença mental são coisas distintas. Na deficiência intelectual, a pessoa apresenta um comprometimento no seu desenvolvimento. Ou seja, existe uma alteração cognitiva. Já a doença mental engloba uma série de condições que causam alteração de humor e comportamento e podem afetar o desempenho da pessoa na sociedade. Em resumo, é uma doença psiquiátrica, que deve ser tratada por um psiquiatra;

3. Deficiência intelectual não é visível

Por se tratar de um comprometimento cognitivo, a deficiência intelectual não traz características físicas. Logo, não é possível identificar se a pessoa tem ou não deficiência intelectual pela aparência. Muitas vezes, você poderá até conversar com uma pessoa com deficiência intelectual na rua e nem perceberá. Isso pode acarretar uma série de preconceitos;

4. A deficiência intelectual não define o indivíduo

A pessoa com deficiência intelectual tem dificuldades, sentimentos, vontades e sonhos como qualquer outro indivíduo. Por isso, não é indicado chamá-la de “deficiente” e muito menos de “portadora de deficiência”. O indivíduo possui deficiência intelectual, mas ela não o define por inteiro;

5. Pessoas com deficiência intelectual podem casar e trabalhar

As pessoas com deficiência intelectual possuem os mesmos direitos que todos os outros cidadãos, entre eles o trabalho e o matrimônio. O direito ao casamento é garantido pela LBI – Lei Brasileira de Inclusão, sancionada em 2015. Já, por meio da Lei de Cotas, promulgada em 1991, as pessoas com deficiência intelectual começaram a serem inseridas no mercado de trabalho. Atualmente, a APAE DE SÃO PAULO oferece o Serviço de Qualificação e Inclusão Profissional que promove a colocação de pessoas com deficiência intelectual em empresas. Por ano, mais de 400 pessoas com deficiência intelectual são empregadas em grandes empresas em São Paulo;

6. Pessoas com deficiência intelectual podem falar por elas mesmas

A sociedade vê a pessoa com deficiência intelectual como um incapaz, que não pode falar por si só ou exprimir a sua vontade. Um grande desafio é o de sensibilizar e apoiá-las para que sejam cada vez mais protagonistas de sua própria história. Pensando nisso, a APAE DE SÃO PAULO realiza o Programa de Autodefensoria, que promove ações de self-advocacy (defesa de si mesmo) realizadas pelas pessoas com deficiência intelectual.

“Por meio deste trabalho, pessoas com deficiência intelectual são empoderadas para defesa e garantia de seus direitos, participando de conselhos municipais, audiências públicas e espaços que promova esse debate, contribuindo para a construção de políticas públicas mais inclusivas para elas e para as demais pessoas com deficiência”, explica Mônica Rocha, assistente social do Programa de Autodefensoria da APAE DE SÃO PAULO;

7. Pessoas com deficiência intelectual podem votar

Como qualquer outro cidadão, a pessoa com deficiência intelectual pode votar. Basta ter o título de eleitor. Para ter acesso ao direito, a pessoa com deficiência intelectual, maior de 18 anos, deve ir ao cartório eleitoral mais próximo levando documento de identificação e comprovante de residência atualizado em seu nome. Qualquer dúvida, poderá ser esclarecida pela Central de Atendimento ao Eleitor, o disque 148. “Caso a pessoa com deficiência intelectual esteja sob a responsabilidade de um curador, a LBI é clara ao afirmar que esta situação não impede o exercício de direitos políticos”, esclarece a assistente social;

8 – Não trate pessoas com deficiência intelectual de forma infantilizada

As pessoas com deficiência possuem limitações. No entanto, não é necessário tratá-las de forma infantilizada ou com pena. Tratá-las dessa forma não irá contribuir para a sua inclusão na sociedade. “O indivíduo com deficiência intelectual é capaz de realizar

diversas atividades, inclusive esportes, trabalhar, namorar, etc. Por isso, sempre se refira a pessoa com deficiência intelectual de acordo com a idade dela, de forma natural e com empatia”, destaca Dra. Danielle Christofolli;

9. Pessoas com deficiência intelectual têm direito a benefícios sociais

As pessoas com deficiência intelectual têm direito a alguns benefícios sociais. Por meio da LOAS – Lei Orgânica da Assistência Social, as pessoas com deficiência intelectual têm direito ao BPC – Benefício de Prestação Continuada, que garante o recebimento de um salário mínimo mensal. O critério é ter uma renda per capita de ¼ do salário mínimo. Além disso, há a gratuidade no sistema de transporte municipal, intermunicipal e interestadual por meio do bilhete único;

10. Doenças infecciosas, como meningite, podem causar deficiência intelectual?

São diversas as causas da deficiência intelectual, entre elas as doenças infecciosas graves. “Meningites, encefalites e desnutrição grave podem causar deficiência intelectual. Há também outros fatores mais comuns como as causas genéticas, a prematuridade, a falta de oxigênio durante o parto e o consumo de drogas e álcool pela mãe durante a gestação”, conta Dra. Danielle Christofolli.

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

. Projeto pretende agilizar obras de acessibilidade em condomínios

Lei de Cotas completa 27 anos com alguns avanços e conquistas

Governo prorroga prazo para atualizar cadastro

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.