Conheça o projeto Anna Laura Parques Para Todos

0
888
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Área colorida, com brinquedo adaptado, no Parque do Cordeiro, que participa do projeto Anna Laura Parque Para Todos. Fim da descrição.
Parque do Cordeiro, em São Paulo, também ganhou brinquedos adaptados pelo projeto Anna Laura Parque Para Todos (Foto: Divulgação)

Atualmente há diversas opções de lazer para crianças com deficiência, como contação de histórias em Libras, teatro com acessibilidade e oficinas de cultura adaptadas, entre outras. Mas, quando se trata de um parque de diversões, o panorama no Brasil ainda é um pouco diferente. O projeto Anna Laura Parques Para Todos (ALPAPATO) é o único do país que desenvolve parques de diversão adaptados para crianças com deficiência.

 

Anna Laura Parques Para Todos

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Brinquedos do Anna Laura Parque Para Todos, na cidade de Araraquada. Fim da descrição.
Unidade do Parque Anna Laura na APAE Araraquara, no interior de São Paulo (Foto: Divulgação)

Os espaços dos parques Anna Laura disponibilizam ambientes estruturados que proporcionam alegria, integração e motivação para todas as crianças, uma vez que são compostos por diversos recursos lúdicos que propiciam às crianças com e sem deficiência um momento de troca ao compartilharem as mesmas experiências.

A ideia surgiu como uma homenagem de Rodolfo Henrique Fischer e sua esposa, Claudia Fischer, à sua filha Anna Laura Petlik Fischer, quando a perderam em um acidente doméstico em 2012. Após o triste acontecimento, o casal viajou para Israel, onde conhecerem um brinquedo adaptado, o chamou a atenção para um possível projeto.

“Nem sabíamos da existência de brinquedos acessíveis, nunca fomos envolvidos com o segmento de acessibilidade. Depois de pesquisar se eles existiam no Brasil, vimos que de fato, os parques acessíveis ainda eram muito poucos e não eram mantidos, percebemos que a demanda para este tipo de projeto era muito grande e a oferta não existia”, diz Rodolfo.

O projeto possui três objetivos básicos: terapia, socialização e lazer. Segundo Rodolfo, uma das primeiras coisas que notou foi que as crianças com deficiência entravam em salas para fazer as terapias contra a sua vontade, pois era como entrar em uma sala de aula. Agora, com os novos parques, boa parte dessa terapia passou para o ar livre: “São os mesmos procedimentos, só que no parque a criança está brincando ao mesmo tempo. Então ela não vai para a terapia com resistência, e isso faz uma diferença enorme na sua vida e no seu desenvolvimento”, afirma.

Participam deste projeto várias pessoas, instituições e empresas, como a AACD, cujos terapeutas auxiliaram para o desenvolvimento de brinquedos adequados, e a LAO Engenharia, que fabrica os brinquedos. Atualmente já foram entregues seis unidades do Parque Anna Laura, e outros estão previstos para serem entregues até o final de 2018.

Ainda de acordo com Rodolfo, os parques são doados para locais onde há carência socioeconômica, e os espaços são pensados para famílias com poucos recursos e que não possuem acesso a este tipo de lazer adaptado.

“Visitar um parque não acessível para uma criança com deficiência pode ser frustrante, assim, quem tem acesso a um parque acessível como o ‘Anna Laura’ voltará sempre, pois além de todos os benefícios que ele proporciona ainda é um parque bonito, com paisagismo, que muda a experiência dos pais e permite que a criança brinque em um lugar que seguro”, conclui.


Conheça o Parque Anna Laura

Os brinquedos do Parque Anna Laura são desenvolvidos para que crianças com mobilidade reduzida e/ou alterações sensoriais e intelectuais tenham a oportunidade de brincar de forma segura e ampliar experiências motoras, cognitivas e sensoriais, gerando sensações prazerosas que favorecem a melhora da autoestima, promovendo a acessibilidade social, caminho que conduz a uma sociedade sem preconceitos. Saiba quais são alguns dos brinquedos dos parques e os benefícios que eles proporcionam às crianças:

  • Balanço para cadeira de rodas: Utilizado para trabalhar o estímulo vestibular, aumentar o nível de alerta, o controle cervical e de tronco, as estratégias de equilíbrio e transferência de peso, etc;
  • Trepa-trepa: Trabalha o fortalecimento dos movimentos dos membros superiores, favorece o desenvolvimento da noção espacial, do alcance, da preensão palmar, o planejamento motor, etc;
  • Cama elástica: Atua com o fortalecimento, tomada de peso e propriocepção dos movimentos dos membros inferiores na postura em pé, treino de equilíbrio e reações de proteção na postura sentada, etc;
  • Mesa de areia: Age com a estimulação tátil e vivências sensorio-motoras manuais, favorece a linha média de movimentos dos membros superiores, a postura ortostática, etc;
  • Banco gafanhoto com bola: Trabalha a coordenação motora no jogo com a bola para favorecer a simetria dos movimentos dos membros superiores e extensão de cotovelos, a função uni e bimanual, a coordenação visiomotora, a interação e socialização, etc.

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

. Parque da Mônica fecha parceria com a AACD

. Inaugurado primeiro parque aquático acessível do mundo

. Museu da imaginação estimula as crianças por meio da arte

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.