15 coisas que você precisa saber sobre acessibilidade

0
2371
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Uma escada com uma cadeira elevatória. Fim da descrição.
Especialista dá dicas para garantir a acessibilidade residencial (Foto: Divulgação)

Você sabe o que é Desenho Universal? Separamos 15 coisas que você precisa saber sobre acessibilidade residencial que vão garantir conforto e segurança na sua casa!

 

Acessibilidade residencial

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Um banheiro com acessibilidade para pessoas com deficiência física. Fim da descrição.
Adaptação no banheiro pode garantir conforto e segurança (Foto: Divulgação)

Identificações personalizadas em relevo para atender as necessidades de pessoas com deficiência visual; recursos auditivos para sinalização dos ambientes; rampas no lugar de escadas e degraus; barras de apoio…

São muitos os recursos disponíveis no mercado para garantir a acessibilidade residencial.

Segundo a arquiteta e urbanista Helena Degreas, a maioria das pessoas já sentiu algum tipo de dificuldade dentro de casa. “Quem nunca teve que deitar no chão para ligar um aparelho na tomada ou escorregou em piso liso e molhado?”.

Segundo a profissional, o que mais preocupa no que se refere a falta de acessibilidade residencial é o fato de as pessoas se habituarem a situações como essa.

“Nós nos adaptamos a todas essas situações e às condições impostas pelos objetos, ambientes e espaços, mesmo que isso gere, em muitos casos, desconforto, quando o correto seria exigir que o ambiente se adapte às necessidades e características físicas de cada um.”

Outra questão importante é que projetistas, em geral, utilizam medidas padronizadas no desenvolvimento de seus projetos, o que é errado, já que as condições de conforto estão diretamente ligadas às características físicas das pessoas. “Vivemos rodeados de objetos industrializados, mas, para que a acessibilidade residencial se concretize, designers, arquitetos, engenheiros, urbanistas, paisagistas e decoradores precisam levar em conta critérios como estatura, peso, destreza e idade dos clientes, por exemplo.”

 

Desenho Universal

Descrição da imagem #PraCegoVer: A imagem está no formato retangular, na vertical. Imagem de close da arquiteta Helena Degreas. Ela tem cabelos loiros, ondulados, um pouco abaixo dos ombros. Ela usa uma blusa branca e ao fundo vemos uma parede colorida em tons de vermelho e amarelo. Fim da descrição.
A arquiteta Helena Degreas (Foto: Divulgação)

Para Helena Degreas, é preciso incorporar o conceito de usabilidade, e o primeiro passo será dado quando todos compreenderem que é preciso projetar para pessoas reais, permitindo a adaptação de produtos, ambientes, espaços e cidades, o que podemos chamar de Desenho Universal.

“Trata-se da busca da inclusão nos diversos segmentos sociais por meio da facilitação de uso de produtos/meios/espaços, consolidando, assim, os pressupostos existentes na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Entende-se por universal em seu acesso todo produto que torna possível a prática das atividades e tarefas cotidianas do ser humano”, constata a arquiteta.

Os conceitos de Desenho Universal são mundialmente adotados por qualquer programa de acessibilidade plena, e ele se assume como instrumento privilegiado para a concretização da acessibilidade e, por extensão, de promoção da cidadania e inclusão.

 

Dicas para garantir a acessibilidade residencial

1) Cuidado com móveis e demais objetos, que devem apresentar cantos arredondados, especialmente se localizados próximos a áreas de circulação principal;

2) Mantenha áreas de circulação amplas e livres de objetos, com 90 centímetros de área de giro);

3) Use pisos antiderrapantes, em especial nas áreas úmidas, como banheiros, lavanderias, cozinhas, áreas de serviço, varandas e demais espaços externos. Os pisos devem ter superfície regular, firme, estável sob qualquer condição, evitando a trepidação em dispositivos com rodas;

4) Substituir degraus por rampas com declividades corretas e corrimãos para apoio;

5) As portas devem ter um vão livre maior ou igual a 80 centímetros, para passagem de cadeira de rodas;

6) As maçanetas devem ser de alavanca e as fechaduras devem ser instaladas acima delas, para facilitar a visualização;

7) Tapetes, capachos e afins deverão ser fixados no chão para evitar escorregões ou impedimento de circulação de pessoas em cadeira de rodas;

8) Tomadas precisam ser colocadas em pontos mais altos;

9) Escolha torneiras de monocomando ou misturadores com dois volantes com 1/4 de volta;

10) Opte por uma ducha manual e com controle de fluxo;

11) Instale um banco articulado na área de banho;

12) Escolha peças sanitárias adequadas e lavatórios suspensos;

13) Posicione espelhos inclinados em 10 graus em relação ao plano vertical;

14) Bancadas, mesas, pias, armários e gaveteiros devem ser instalados em alturas adequadas;

15) Mantenha uma boa iluminação de teto e também de piso (bordas de paredes), incluindo degraus de escadas, para orientação noturna.

 

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

. Por uma vida independente

. Conheça a cadeira de rodas robótica

. Governo prorroga prazo para atualizar cadastro

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.