A professora e a psicopedagogia

4
6162
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Nela, Zilanda Souza está sentada à frente de uma mesa, e segura alguns de seus livros: Brincando de Palavrear e o livro do programa de treino em funções executivas Super 6º Ano. Fim da descrição.
Foto: Vítor Beltrame

Por: Zilanda Souza*

Eu queria ser professora. Não, eu não queria ser pedagoga! Eu não queria gerir a educação, queria potencializar aprendizagens… Ajudar quem não conseguia aprender!

Busquei por especializações e cursos que me ajudassem a conhecer o desenvolvimento das crianças. Mergulhei na psicopedagogia. Faltava algo. Mergulhei na neuropsicopedagogia. Faltava algo.

Continuo meu mergulho, pesquisando neurociências, funções executivas e cognição social. Fazendo laboratórios. Aprendendo insistentemente, pois sempre falta algo. Passei por todas as etapas: educação infantil, ensino fundamental e ensino médio.

Houve um período em que eu sofri muito. Vi meus princípios serem enfraquecidos. Vi sistemas engessados engolirem processos humanos.

Nesse período, a inclusão estava um pouco mais longe. A escola era exclusiva para crianças de desenvolvimento típico. Quem não se adequava, ficava a margem do processo. Hoje já temos mais legislação e abertura.

Uma vez, um diretor me chamou de ‘subversiva’. Para o mundo que tenta padronizar pessoas, sim! Eu era subversiva! Eu era rebelde. Driblei muitos sistemas, para priorizar o desenvolvimento. Tenho orgulho disso! Foi assim, que surgiu a ideia de um espaço que valorizasse o desenvolvimento da criança e do adolescente, que valorizasse a vida. Ele nasceu dentro de um cômodo da minha casa.

A primeira criança que eu atendi, era autista e tinha sido convidada a se retirar da escola por ser diferente das outras. Nasceu o Espaço Vida!

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Logotipo do Espaço Vida. A imagem tem fundo branco, e traz um semi-círculo em azul e branco, como uma digital, seguido das palavras espaçovida, que foi escrita sem espaços e está em dois tons de azul, um mais escuro e outro mais claro. Abaixo do nome Espaço Vida, está escrito: Desenvolvendo Pessoas, em letras maiúsculas, em um tom de azul escuro. Fim da descrição.Hoje, mais de 10 anos depois, o Espaço Vida se tornou um projeto que contribui para o diagnóstico de dificuldades e transtornos de aprendizagem e do desenvolvimento. Vivencia suas ações por meio de uma equipe multi e interdisciplinar. Trabalha com formação de professores, com cursos e pós-graduação. Voltada para a valorização da ciência dentro dos espaços escolares, nos tornamos parceiros do Grupo de Investigação em Neuropsicologia, Desenvolvimento e Educação de São Paulo (GINDE) e atualmente, implementamos o Programa de Treino em Funções Executivas – Super 6º ano.

Nesse ano, a ideia que nasceu no interior de Minas Gerais chegou à capital do país. Nasceu o Espaço Vida Brasília. Não se trata apenas de um espaço. É uma filosofia. Um jeito de integrar saúde e a educação, de investigar e reconhecer os desenvolvimentos diversos, que cada criança ou adolescente pode apresentar. Nasceu a partir de um comportamento rebelde, que rejeita integralmente toda forma consciente e inconsciente de exclusão. Tem no seu próprio nome, a sua missão: VIDA! ESPAÇO VIDA!

Semanalmente, vou compartilhar aqui, no Portal Acesse, atividades e propostas pedagógicas para serem desenvolvidas em casa ou na escola, com o objetivo de desenvolver as capacidades de todos.

Até a próxima semana!

 

*Zilanda Souza é mãe, professora, especialista em psicopedagogia e neuropsicopedagogia. Autora do livro ‘Brincando de Palavrear’, escritora da coluna ‘Desenvolvimento e Aprendizagem’, coordenadora da pós-graduação em neurociência aplicada a avaliação e intervenção psicopedagógica. Diretora da Espaço Vida em Minas Gerais e no Distrito Federal. Atua em pesquisa voltada para a intervenção em funções executivas em crianças do ensino fundamental anos finais.

 

Portal Acesse
SHARE
Previous articleEu, por mim mesma!
Próximo artigoReatech: Feira aquece o mercado da reabilitação
Mãe e educadora, especialista em psicopedagogia e neuropsicopedagogia, doutoranda em Saúde Coletiva. Autora do livro ‘Brincando de Palavrear’, coordenadora da pós-graduação em neurociência aplicada a avaliação e intervenção psicopedagógica e doutoranda em saúde coletiva. Diretora da Espaço Vida em Minas Gerais e no Distrito Federal. Atua em pesquisa voltada para a intervenção em funções executivas em crianças do ensino fundamental anos finais.

4 COMENTÁRIOS

  1. Que trabalho maravilhoso! Cursei Neurociência recentemente e agora estou na etapa final, o TCC. E o tema que estou construindo é ” Intervenção em Funções Executivas”, gostaria muito de conhecer suas pesquisas.

    Atenciosamente;

    Elizangela

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.