Entenda a importância dos profissionais auxiliares na equoterapia

0
687
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Uma menina está montada em um cavalo marrom. Ao seu lado estão a equoterapeuta Eliane Baatsch e um jovem auxiliar de equoterapia. Eles estão no setting terapêutico da Hípica Santa Terezinha. Fim da descrição.
Profissional destaca a importância dos auxiliares na equoterapia (Foto: Cesar Greco)

Por: Eliane Baatsch*

Quando observamos uma sessão de equoterapia sempre percebemos que além do praticante, cavalo e equoterapeuta, tem toda uma equipe envolvida… Conheça os profissionais que auxiliam na intervenção terapêutica e normalmente se encontram nos bastidores, já que nem sempre são notados pelas pessoas de fora do setting terapêutico…

Mas, será que esses profissionais são apenas auxiliares na equoterapia? E, qual seria sua demanda na intervenção terapêutica?

Hoje, vamos conhecer um pouquinho dos profissionais que atuam no centro de equoterapia, garantindo a qualidade das sessões de equoterapia e não são só os cavalos e os equoterapeutas.

Os auxiliares, denominados como guia ou laterais, têm funções importantes na equoterapia, como conduzir o cavalo de acordo com as orientações dos equoterapeutas, garantir a segurança do praticante e também auxiliar em posturamento e organização

Esses profissionais não podem passar desapercebidos no setting terapêutico, porque o trabalho que executam muitas vezes são bem difíceis, cansativos e de muita responsabilidade.

Na Hípica Santa Terezinha, localizada em Carapicuíba, atendemos cerca de 522 pessoas com deficiência, através da equoterapia, graças a uma parceria entre a Guarda-Mirim de Carapicuíba, responsável pelo treinamento de jovens e adolescentes para atuarem no projeto como auxiliares (guia e lateral), sendo incluídos no programa como jovem aprendiz.

Muitos se destacam em fundamentos na equitação e alguns, até o final do projeto, acabam procurando a formação na área da equoterapia para a atuação futura como equoterapeuta ou instrutor de equitação para a equoterapia.

 

Jovens profissionais com responsabilidade na equoterapia

Esses jovens doam interações, socializações, responsabilidades e habilidades para manter a segurança e evoluções dos praticantes na equoterapia, juntamente com a equipe multidisciplinar.

Chegam a andar quilômetros de distância conduzindo um animal e, mesmo assim, complementam as terapias com sorrisos, interações, brincadeiras e acolhimento a equipe, praticantes e famílias.

Jovens com a responsabilidade grandiosa e com a missão de desenvolver a melhora da qualidade de vida para as pessoas com deficiência. Desempenham esse papel com amor, dignidade e respeito.

São os primeiros a chegarem para garantir a higiene e conforto do animal nos encilhamentos e organizarem o setting terapêutico para a qualidade do atendimento. Quando fazem o auxílio lateral proporcionam além da segurança ao praticante, comunicações, amizades e vínculos.

Não são monitores! São profissionais com dimensões importantes de atuação para garantirem o sucesso dos atendimentos! Por isso merecem respeito!

Às vezes, conseguimos ter avanços nas interações, comunicações e vínculos com a atuação desse profissional nas sessões de equoterapia.

 

Conheçam algumas das atuações desses profissionais na equoterapia:

1. Garantir a higiene e encilhamento com conforto ao animal para a qualidade da sessão de equoterapia;

2. Organização dos materiais pedagógicos, fisioterapêuticos, equoterápicos e de equitação conforme orientação da equipe multidisciplinar;

3. Assegurar a prudência num susto de um animal em sua condução para garantir a segurança do praticante e equipe de atendimento;

4. Auxiliar no processo de retirada de emergência do praticante;

5. Observar o animal nas sessões de equoterapia, assim garantindo qualquer evidência de alteração comportamental com a prevenção;

6. Participar das sessões de equoterapia quando solicitado para garantir o vínculo com o praticante;

7. Auxiliar na rampa de transferência a equipe com o deslocamento do praticante;

8. Executar atividades de hipologia equina, como higiene, escovação, limpeza de cascos, tosa, tosquear, limpeza das baias, trato e banho do animal;

9. Rodar o animal na guia e executar exercícios de equitação elementar para auxiliar no processo de treinamento do animal;

10. Acolher o praticante, famílias e equipe, como ajudar no que for necessário;

11. Auxiliar no embarque, desembarque e transposição do praticante no cavalo;

12. Construir uma relação de reciprocidade, confiança e empatia com todos os animais que atua.

 

Os auxiliares são profissionais importantes na boa funcionalidade do setting terapêutico, executam muitlifunções e ainda são amigos dos cavalos e dos praticantes.”

Parabéns aos nossos eternos meninos da Guarda-Mirim de Carapicuíba pela excelente missão realizada na equoterapia da Hípica Santa Terezinha!

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

. Equoterapia não é só montaria

O profissional de fonoaudiologia na equoterapia

Saiba qual a importância do psicólogo na equoterapia

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here