Hand Talk anuncia aquisição da ProDeaf

0
622
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Intérpretes virtuais da Hand Talk e da ProDeaf reunidos. O fundo é laranja. O primeiro, à esquerda, é um homem negro e de cabelo raspado. Usa uma camisa cinza e traz as mãos junto ao corpo. No centro, o Hugo, personagem da Hand Talk, tem a pele branca e cabelos pretos, os braços cruzados e veste uma camisa branca, gravata azul clara e óculos pretos. À direita, o segundo intérprete da ProDeaf usa uma camisa branca e paletó cinza. Tem a pele branca, cabelos marrons e aponta com o indicador da mão esquerda para o Hugo. Fim da descrição.
Hand Talk anunciou a compra de sua maior concorrente, nesta semana (Imagem: Reprodução)

A Hand Talk, negócio social considerado uma das 100 Startups brasileiras para ficar de olho em 2018, anunciou nessa quarta-feira, 13 de junho, a compra de sua maior concorrente no mercado de tradução automática para a Língua Brasileira de Sinais (Libras), a ProDeaf.

A aquisição – motivada pelas trajetórias e serviços comuns às startups – reforça o compromisso da empresa de quebrar barreiras entre surdos e ouvintes por meio da tecnologia.

De acordo com Ronaldo Tenório, CEO e fundador da Hand Talk, a compra foi um movimento natural, dadas as sinergias existentes entre as duas organizações. “A ProDeaf tem um foco muito interessante em inovação, que é um dos maiores valores que temos aqui na Hand Talk. Fomos acelerados juntos pelo Google Launchpad no Vale do Silício e foi lá que rolou uma aproximação entre as marcas, onde algumas conversas começaram”, pontua.

Além dos aplicativos que traduzem texto e voz para a língua de sinais, ambas as empresas também oferecem um plugin que deixa os sites acessíveis para o público surdo. Com a compra, a expectativa da startup alagoana é levar a acessibilidade digital para cada vez mais organizações.

Atualmente, a ProDeaf conta com clientes como O Boticário, Insper e Bradesco, enquanto o Hugo, intérprete virtual da Hand Talk, está presente em empresas como Magazine Luiza, Unimed, EY, Avon e Banco BMG.

“As marcas vão trabalhar juntas a partir de agora e os próximos passos já estão sendo planejados”, comenta Tenório, considerado um dos jovens mais inovadores do mundo pelo MIT, sobre o futuro da Hand Talk. Nos próximos meses, a empresa pretende expandir sua operação tanto na base de Maceió (AL), sede administrativa e de desenvolvimento de produtos do negócio, quanto em São Paulo – onde se concentra o time comercial.

 

Sobre a Hand Talk

Fundada em 2012, a Hand Talk realiza a tradução digital e automática do português para a Libras, a Língua Brasileira de Sinais. Com a missão de quebrar barreiras entre surdos e ouvintes, a startup é comandada pelo Hugo, um simpático intérprete virtual, e possui um plugin para tradução de sites e um aplicativo que funciona como um tradutor de bolso – premiado pela ONU como o Melhor Aplicativo Social do Mundo.

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

. Hand Talk promove evento para discutir acessibilidade digital

. Mulher traduz músicas em Libras no show do cantor Saulo

Eric Clapton surpreende fãs e revela estar perdendo a audição

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.