Paola Antonini é eleita embaixadora Nissan para o público com deficiência

0
9857
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. A influenciadora digital Paola Antonini, que foi eleita embaixadora da Nissan para o público com deficiência. Paola é uma mulher jovem, tem cabelos loiros, lisos e compridos. Ela está sentada em seu Nissan Kicks. Fim da descrição.
Paola em seu Nissan Kicks, durante a gravação do vídeo para seu canal no Youtube (Foto: Reprodução)

 

Com quase dois milhões de seguidores, modelo e influenciadora digital é uma das embaixadoras da Nissan

Linda, carismática e super alto astral, a modelo mineira Paola Antonini, 23 anos, vem ganhando cada vez mais destaque na mídia. Nas redes sociais, ela se consagrou tendo sido eleita pela revista Forbes a principal influenciadora digital do país, com menos de 30 anos. Com quase dois milhões de seguidores, a musa das Paralimpíadas do Rio de Janeiro, é embaixadora Nissan para o público com deficiência.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato quadrado. A influenciadora digital Paola Antonini, que foi eleita embaixadora da Nissan para o público com deficiência. Paola é uma mulher jovem, tem cabelos loiros, lisos e compridos. Ela teve a perna esquerda amputada e usa uma prótese cor de rosa. Ela está encostada em um carro, modelo Nissan Kicks, e usa uma . Ela está usando um vestido preto com estampa florida, em tons de rosa. Fim da descrição.
Paola Antonini, com seu Nissan Kicks (Foto: Reprodução)

Paola, que perdeu a perna esquerda ao ser atropelada, enquanto guardava a mala no carro para uma viagem de réveillon, em 2014, garante que em seu processo de recuperação, não deu espaço para a tristeza. “Eu não tive tempo para me revoltar contra o que aconteceu, usei minhas forças apenas para agradecer pela minha vida, que foi preservada. Isso, com certeza, foi o mais importante”, conta.

Questionada sobre o segredo de tanto sucesso, ela acredita que a simplicidade de seus atos foi fundamental para conquistar as pessoas. Isso porque, Paola compartilha sua rotina pessoal e seus compromissos de trabalho, além de interagir com o público de forma inteligente e divertida. “As pessoas gostam de acompanhar tudo o que eu faço e me sinto feliz por poder dividir com elas, desde as coisas mais simples até as coisas mais importantes, porque sei que cada detalhe pode fazer a diferença para elas. Sempre deixo mensagens positivas para que elas aprendam a se amar e vejam que as diferenças existem e estão aí para agregar valor a esse mundo”, explica.

E nós, do portal Acesse, pegamos carona nesse sucesso todo e fomos conversar com Paola. O resultado dessa entrevista exclusiva vocês conferem a seguir!

Quase três anos depois do acidente, como você avalia seu processo de reabilitação? 

Para mim foi um período de descobertas, para entender como seria a partir daquele momento. Quando recebi a notícia de que havia perdido minha perna, não foi fácil, mas, hoje vejo que foi um momento especial na minha vida. Tive que aprender a andar de novo, a me equilibrar, subir e descer escadas. Todo o processo durou um mês e meio, e guardo esse período com muito carinho.

 

Você teve dificuldades para aceitar seu corpo após o acidente?

Não. Eu apenas me sentia grata por estar viva. Eu vivi o processo de forma muito tranquila e nunca tive problema com as cicatrizes. Estava tão feliz por estar viva que só queria estar boa logo e, depois disso, eu até parei de me incomodar com coisas que não valem a pena.

 

Você é um ícone para milhares de pessoas com deficiência. Como foi assumir essa responsabilidade?

Foi algo muito natural porque nunca tive intenção de trabalhar com redes sociais e alcançar tantos seguidores. Muitas pessoas começaram a mandar mensagens e passei a interagir com elas, compartilhando cada detalhe da minha recuperação. Desde o início senti um retorno muito legal das pessoas e isso vem sendo muito gratificante. Tem os obstáculos, mas é importante ir em frente e acreditar que as coisas vão dar certo. Sou muito grata e tenho esse propósito, de mostrar para as pessoas que ter uma deficiência não as limita. Pelo contrário, podemos ter uma vida normal e fazer tudo o que a gente quiser, e isso é incrível. É muito legal poder mostrar isso.

 

Como é sua rotina de trabalho? Tem feito muitos eventos?

Minha rotina é bem atribulada [risos]. Na verdade, não tem uma rotina. Cada dia é de um jeito. Graças a Deus tenho feito muitos trabalhos e tenho viajado muito. Para mim, que amo viajar, tem sido muito gratificante. Tem semanas que são mais pesadas, com trabalhos bem puxados, mas eu amo viajar, estar com pessoas e passar minha mensagem. É um trabalho maravilhoso.

 

Como você lida com o assédio dos fãs? Já passou por alguma situação inusitada?

Eu amo estar com as pessoas! Amo de verdade quando alguém vem falar comigo ou quando me mandam mensagens. Tento sempre responder todo mundo e faço o máximo que eu posso, porque é muito lindo e gratificante. Eu amo quando as pessoas vêm compartilhar suas histórias comigo, assim como eu compartilho as minhas com elas. Eu gosto de saber a história das pessoas e me faz bem saber que elas querem compartilhar comigo coisas tão pessoais. Sobre uma situação inusitada, eu nunca passei por nada assim. Mas, já ouvi histórias bem emocionantes, como a de uma menina que me disse que não usava shorts há cinco anos e que agora estava usando porque eu a motivei. Coisas assim me tocam de um modo muito especial.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato quadrado. A influenciadora digital Paola Antonini, que foi eleita embaixadora da Nissan para o público com deficiência. Paola é uma mulher jovem, tem cabelos loiros, lisos e compridos. Ela teve a perna esquerda amputada e usa uma prótese. Ela está encostada em um carro, modelo Nissan Kicks. Ao fundo vemos o letreiro com o nome do carro. Fim da descrição.
Paola Antonini foi eleita embaixadora da Nissan para o público com deficiência (Foto: Divulgação)

Como surgiu o convite para se tornar a embaixadora do Programa de Mobilidade para Todos Nissan?

Eu já gostava muito da Nissan, já tinha me encantado muito com a equipe, tive uma relação ótima com eles durante as Paralimpíadas [do Rio], que foi muito legal. Inclusive, fizemos um vídeo surfando juntos e foi demais. Eles me apresentaram o programa Mobilidade para Todos e eu achei maravilhoso, é muito a minha cara, algo que a gente precisa informar sobre isenção de impostos porque as pessoas não têm acesso à informação. Então, a Nissan foi muito parceira. Então, fiz alguns vídeos falando do assunto e foi muito legal, pois várias pessoas me agradeceram por essas informações.

 

Todo mundo que acompanha seu canal, sabe que você tem um Nissan Kicks. Como você avalia o modelo, no que se refere a atender suas necessidades de adaptação?

O Nissan Kicks foi uma surpresa incrível. Falo isso, porque, um dos meus desafios após o acidente, foi voltar a dirigir, e isso realmente era um bloqueio para mim, porque com o acidente eu perdi um pouco de noção espacial e fiquei com um pouco de medo. Então, posso dizer que a Nissan me ajudou a superar isso. Quando eu voltei a dirigir o Nissan Kicks, me senti muito segura. É um carro que atende totalmente as minhas necessidades e, por ter uma amputação de perna esquerda, não precisei de nenhuma adaptação grande, porque o carro é automático e eu uso apenas a perna direita. Mas, caso eu precisasse, sei que é bem tranquilo para adaptar o carro. Fora isso, o Nissan Kicks é ótimo, é grande e é alto, o que facilita muito para quem perdeu um pouco da noção espacial. Isso sem falar, que o carro tem uma câmera de ré maravilhosa, que faz a maior diferença. Com ela, eu consigo fazer balizas perfeitas e me sinto muito mais segura. Agora, minha vida voltou ao normal e é maravilhoso sentir novamente essa sensação de independência. Eu confio na Nissan e me sinto muito feliz, é uma marca muito humana, que acredita nas pessoas e tem nelas sua fonte de inspiração. O carro atende todas as minhas necessidades de forma perfeita.

 

Que mensagem você deixa para as pessoas que te admiram e que ainda não aprenderam a lidar com a deficiência?

Que mensagem eu deixo! Ah, eu falo para elas serem felizes. A vida passa muito rápido e a gente não pode ficar se lamentando ou ficando triste. Precisamos seguir em frente, conhecer esse novo mundo e nossos obstáculos. Quando eu sofri o acidente, eu realmente pensei, na hora: eu tenho duas opções, ficar triste ou ficar feliz e forte. E, neste momento, nenhuma decisão vai mudar o fato de que eu perdi minha perna. Isso é um fato, nada vai trazer ela de volta. Então, eu decidi ficar feliz, conhecer esse novo mundo, enfrentar e ser forte, porque eu não tinha como saber como seria o dia seguinte. Por isso, decidi enfrentar, e foi uma surpresa muito boa. Por isso que eu sempre falo, que foi um momento que poderia ser horrível para várias pessoas. E eu soube encontrar vários ganhos. Isso foi uma oportunidade muito incrível da minha vida. Tenho certeza que se eu não tivesse encarado com otimismo, acreditando que tudo podia dar certo, talvez minha vida não ia estar do jeito que está agora. Então, a mensagem que eu deixo é, sempre pensa positivo, aceite seus desafios, vá atrás, por mais difícil que pareça. Acredite e aproveite a vida, porque a vida é muito curta, e às vezes a gente deixa de curtir por besteira, e depois a gente vê que não era nada, que a gente devia ter aproveitado mais e que a nossa vida está muito além da aparência física.

Confira o vídeo da Paola Antonini mostrando seu Nissan Kicks!

 

 

Outras notícias sobre Autos

. Paratleta testa Nissan Kicks em viagem de aventura

. Conheça os modelos Nissan para pessoas com deficiência

Nissan apresenta programa de vendas especiais

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here