Pessoas com deficiência visual e a automaquiagem

0
129
Descrição da imagem #PraCegoVer: A imagem está no formato retangular, na horizontal. Nela, a instrutora mostra um produto, por meio do tato, para uma aluna do curso de automaquiagem, que tem baixa visão. Fim da descrição.
Oficina de automaquiagem melhora a autoestima das mulheres cegas (Foto: Divulgação)

Por: Lilia Giacomini*

A ideia de criar a oficina de automaquiagem para mulheres com deficiência visual surgiu na busca de atender às necessidades e desejos da mulher com deficiência visual em se maquiar e se fazer mais bonita. No curso de Atividades de Vida Autônoma (AVA), projeto da Laramara – Associação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência visual, um dos domínios a ser conquistado é da apresentação pessoal e a dependência da maquiagem era um desafio.

Toda mulher gosta de estar sempre muito bonita e arrumada, e por que não a mulher com deficiência visual? A deficiência não deve ser fator para não se cuidar e manter a beleza e sim, a força propulsora na busca de realizar sonhos e vencer desafios.

Assim nasceu a parceria entre Laramara, Jacques Janine, Vult Cosméticos e KISS New York, que se iniciou há dois anos, somando expertises do universo da maquiagem aliados ao trabalho com pessoas com deficiência visual; abrindo assim novas possibilidades de ensinar às pessoas com deficiência visual técnicas corretas para a maquiagem.

Durante a realização do curso de automaquiagem, a cada dia, aprendiamos o que era necessário adaptar. Se permitir tocar seu próprio rosto e reconhecê-lo pelo tato identificando lugares em que devemos usar uma maquiagem mais caprichada, é apenas um detalhe. Muitas vezes, o uso do pincel pode ser substituído pelo próprio dedo, ou usar o dorso da mão ou o outro dedo como guia, pode fazer a diferença para este aprendizado.

As identificações em Braille, em tipos ampliado e em texturas nos produtos, também ajuda a identificar o produto correto na hora do uso. A apostila é oferecida em áudio, Braille e tipos ampliados para poder ter sempre à mão a releitura das técnicas.

Contribuindo para o resgate da sua autoestima e a certeza de que são capazes de se tornarem cada vez mais belas, a Laramara busca a reconstrução dessa autoestima, autonomia e independência nos vários cursos que oferecemos aqui no Programa de Jovens e Adultos (Proceja), que durante 19 anos, oferece cursos de informática, dança, mundo do trabalho, cidadania e direitos sociais, autonomia e independência, artes (escultura e pintura), dança, música e musicografia Braille, inglês e AVA, no qual este curso de automaquiagem está ancorado.

Até o momento, atendemos 57 mulheres com baixa visão e cegueira. Esses cursos acontecem duas vezes ao ano, atendendo 12 pessoas com deficiência visual em cada turma, com cinco encontros, uma vez por semana, com duração de duas horas diária. O próximo será para 2018 e já temos uma fila de espera de 45 pessoas.

Esse e os outros cursos da Lamarara são totalmente gratuitos e acontecem aqui mesmo em nossa instituição. Lembrando sempre que todos nossos cursos são direcionados às pessoas com deficiência visual.

Qualquer informação a respeito desse e dos demais cursos citados podem ser obtidas pelo telefone (11) 3660-6427, das 9h às 17h, ou pessoalmente, nesse mesmo horário, na rua Conselheiro Brotero, 338, na Barra Funda, em São Paulo (SP).

 

*Lilia Giacomini é pedagoga e assistente de coordenação do Proceja – Laramara

 

Outras notícias sobre Deficiência Visual

. Mostra retrata cotidiano da cia. de ballet de cegos

. Espaço lúdico estimula crianças por meio da arte

. Laramara promove inclusão por meio da educação

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here