Paddleboard: modalidade promove relax em meio à natureza

0
1031
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. O atleta Alan Mazzoleni durante prática do paddleboard. Alan está deitado de bruços na prancha. Ele está no meio da represa. Fim da descrição.
Alan Mazzoleni durante prática de paddleboard (Foto: Reprodução)

Por: Adriana Dutra*

O paddleboard é uma modalidade aquática, de superfície, na qual o participante é impulsionado pelo um movimento de natação usando os braços enquanto está deitado ou de joelhos em uma prancha especial para remadas. É praticado principalmente em mar aberto, mas também pode treinar em represas e nos rios. A diferença da modalidade convencional da adaptada é a possibilidade de ficar ajoelhado.

 

História do paddleboard

Utilizado inicialmente como meio de locomoção entre os nativos havaianos na travessia entre as ilhas, o paddleboard é hoje considerado um esporte de competição. Popular entre os surfistas de ondas grandes do arquipélago havaiano, a modalidade já vem ganhando força também no Brasil, apesar de ainda ser pouco difundida por aqui.

Muitos surfistas no mundo praticam o paddleboard para se manter em forma durante as épocas de ondas pequenas. O atleta trabalha toda a musculatura do tronco e braços e, com isso, boa parte da massa corporal estará em atividade, gerando uma expressiva melhora do sistema cardiorrespiratório e estão associadas a um grande relaxamento mental. Sempre executadas a uma boa distância da costa, esta prática garante o contato direto com a vida marinha.

Algumas competições estão ocorrendo e a modalidade começa a conquistar novos adeptos. Com uma prancha de 15 pés, aproximadamente cinco metros, os praticantes fazem grandes travessias marítimas remando deitado, como na competição Molokai To Oahu Paddleboard Race, que acontece entre duas ilhas em um canal chamado Kaiwi Channel, no Hawaii. Considerado um dos canais mais perigosos do mundo, neste são remados cerca de 50 quilômetros, ou seja, 32 milhas. Já conta com grandes competições mundiais, de curta ou longa distancia que geralmente são realizadas em mar aberto.

 

Confira a seguir a entrevista com o meu amigo Alan Mazzoleni, que é tetraplégico, viciado em adrenalina e aventura!

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. O atleta Alan Mazzoleni após conquistar uma medalha na modalidade. Alan está mordendo a medalha. Fim da descrição.
O atleta de paddleboard Alan Mazzoleni (Foto: J. Mendes)

 

Como você se tornou paratleta? 
Algum tempo depois de fazer hidroterapia comecei a nadar. Depois comecei a praticar Rugby em cadeira de todas e atualmente meu esporte é o paddleboard, modalidade não olímpica, mas tradicional em diversos países do mundo.

 

O que o esporte representa na sua vida? 
Qualidade de vida e me reenergiza cada vez que pratico. O paddleboard trabalha corpo, alma e mente.

 

Como você conheceu a modalidade? 
Foi por meio de uma foto de um amigo surfista, que inclusive é meu instrutor atualmente. Ele estava remando com outro cadeirante e me interessei. Aí pedi pra conhecer o esporte e ele me chamou para treinar com ele.

 

O que mais te motivou a praticar a modalidade? 
Vários fatores, um deles é a natureza, já que eu amo estar em contato direto com ela. Isso me dá um prazer sem explicação. Também tem a água, que é acessível. Nela eu posso ir onde todos que remam vão.

 

Sabemos que ainda existe muito preconceito. Isso te afeta de alguma forma? 
Existe infelizmente, mas não deixo me abater. Busco mudar a ideia de quem pratica o preconceito e tento conscientizar que a pessoa com deficiência é cidadã como as outras, tem limites e capacidades, deveres e direitos, por isso, precisa ser respeitada, pois é parte dessa rica diversidade humana.

 

Você acredita que o paradesporto é responsável pela maior visibilidade de pessoas com deficiência? 
Com certeza o esporte é uma vitrine. Através da dedicação, paixão e esforço de quem pratica. É uma forma de ver que as pessoas com deficiência têm capacidade.

 

Deixe uma mensagem para nossos leitores! 
Procure uma atividade que te agrade e te dê prazer. Depois que você começar a praticar, não vais mais querer parar.

 

Descrição da imagem #PraCegoVer: A imagem está no formato quadrado. A imagem está em preto e branco. Nela está a colunista Adriana Dutra. Adriana é morena, tem cabelos castanhos longos e lisos. Ela usa uma blusa preta e sorri. Fim da descrição.
Foto: Divulgação

*Adriana Dutra é advogada, presidente da Atitude Paradesportiva, ONG que ajudou a criar em 2010. Atua com esporte adaptado há 10 anos, incentivando a prática de atividade física, dando oportunidade de treinamento e organizando eventos para a divulgação e fomentação das modalidades adaptadas.

 

 

Outras notícias sobre Paradesporto

. Conheça o bodybuilding e o fisiculturismo adaptados

. Power Soccer: futebol adaptado se destaca

. Bocha paralímpica como instrumento de inclusão

 

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here