Parada do Orgulho LGBT será a mais inclusiva da história

0
2810
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Nela estão as 11 pessoas que participaram da reunião preparatória das ações inclusivas no evento. Entre eles estão três cadeirantes. Todos estão sentados em volta de uma mesa oval de madeira. Fim da descrição.
Reunião preparatória para a Parada LGBT de São Paulo (Foto: Reprodução)

Pessoas com deficiência já podem se preparar para ocupar as ruas: este ano será possível participar plenamente de dois eventos que integram o 21º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo. Tratam-se da 17ª Feira Cultural da Diversidade e a maior parada LGBT do mundo, que serão acessíveis.

A acessibilidade dos eventos foi planejada e viabilizada por meio de uma parceria entre a Associação da Parada do Orgulho LGBT (APOGLBT SP) e a prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria da Pessoa com Deficiência (SMPED), do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (CMPD) e da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC).

A ativista Ivone de Oliveira, dona do blog Gata de Rodas, foi quem criou o grupo técnico de acessibilidade da associação para discutir todas essas questões.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato quadrado. Um cartaz de divulgação de um evento, com fundo branco. Traz no canto superior, esquerdo, os ícones das deficiências físicam auditiva e da mobilidade reduzida. Ao lado dos ícones está escrito: 17ª Feira Cultural da Diversidade. Abaixo está a seguinte informação: A Feira mais inclusiva da história. No meio da imagem está uma faixa na cor pink escrito: 15/6, das 10h às 22h. Vale do Anhangabaú. Na parte inferior da imagem está escrito: Retire sua pulseira para a área VIP Acessível no estande da SMPED/CMPD. No rodapé da imagem estão os logos do Gata de Rodas, da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, da CMPD e da SMPED. Fim da descrição.
Cartaz da Feira Cultural (Imagem: Reprodução)

A 17ª Feira Cultural LGBT começa hoje, 15/06, a partir das 10 horas em evento que segue até as 22 horas, no Vale do Anhangabaú, onde existirão seis pórticos de entrada e saída, todos com informações sobre acessibilidade para pessoas com deficiência. Ademais, uma rota acessível sairá da Rua Libero Badaró e seguirá diretamente para a área VIP, na frente do palco onde ocorrerão as atividades.

No evento haverá um estande compartilhado entre a SMPED e o CMPD que oferecerá informações sobre inclusão, acessibilidade e emporaderamento LGBT da pessoa com deficiência e disponibilizará o ICOM, central de tradução simultânea da Associação Amigos Metroviários dos Excepcionais (AME) que possibilita o diálogo entre pessoas surdas e ouvintes – a tradução ocorre por meio de uma vídeo chamada com a participação de intérpretes de Libras.

No espaço, os visitantes obterão esclarecimentos sobre as funções dos dois órgãos e os Direitos das Pessoas com Deficiência. Haverá um guia de acessibilidade em formato impresso para ser distribuída graças ao apoio da Goodbros, empresa fundadora do Biomob, o aplicativo que constitui um mapeador digital gratuito de locais com acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

A área VIP da feira será totalmente acessível e as pulseiras para adentrá-la poderão ser retiradas no estande da SMPED. Além disso, durante todas as apresentações, protagonizadas por artistas LGBTs, os intérpretes de Libras realizarão a tradução, e às 15 horas, acontece um flash mob. com sinais e gírias específicas da Libras adotada pela comunidade.

Já no domingo, 18/06, pessoas com deficiência também poderão aproveitar muito durante o desfile do bloco preparado exclusivamente para que elas demonstrem todo o seu charme e sensualidade com segurança na 21ª parada Do Orgulho LGBT de São Paulo, que acontece a partir das 10 horas, na Avenida Paulista. A concentração acontece no vão livre do MASP, com saída às 12h30.

O show de encerramento do evento terá tradução em Libras e também haverá um espaço reservado para pessoas com deficiência, a partir das 19 horas, no Vale do Anhangabaú.
Com o objetivo de facilitar o acesso das pessoas com deficiência à Parada, parcerias estão sendo articuladas com as linhas de transporte público – metrô, CPTM e ônibus – e vans do serviço Atende transportarão pessoas com deficiência previamente cadastradas até o evento.

“Essa será uma grande oportunidade para chamar a atenção para o direito a sexualidade, orientação sexual e identidade de gênero das pessoas com deficiência. Todos esses aspectos, infelizmente, foram esquecidos perante a supremacia dos discursos dominados pelos modelos médico e religioso da deficiência e precisam ser urgentemente resgatados”, afirma o secretário da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato.

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here