Brinquedos adaptados garantem inclusão de crianças

0
1151
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem no formato retangular, na horizontal. Nela, crianças e jovens, com e sem deficiência, brincam com seus carrinhos de controle remoto. Fim da descrição.
Brinquedos adaptados fazem sucesso (Foto: Divulgação)

Para garantir recreação para pessoas com deficiência física, a Christopher e Dana Reeve Foundation, apresentou uma novidade que está revolucionando o setor.

Os Adaptoys são versões adaptadas de brinquedos populares que permitem que todas as pessoas possam brincar.

Para o presidente e CEO da Fundação, Peter Wilderotter, a tecnologia tem sido uma importante aliada no processo de reabilitação das pessoas com deficiência. “No entanto, há um vazio quando se trata de tecnologia e brinquedos acessíveis. Os Adaptoys vão ajudar a eliminar a desigualdade na hora de brincar para pais, avós, irmãos, tios ou tias que vivem com paralisia. Estamos animados com a parceira 360i nesta campanha inovadora para acender uma conversa global e compartilhar esses brinquedos com mais famílias.”

A brincadeira é um conector universal que aprimora a qualidade de vida, une as pessoas emocionalmente, além de amenizar o stress e a depressão. Mas, para uma em cada 50 pessoas que possuem algum tipo de paralisia, essas experiências são difíceis, se não impossível, e a incapacidade de interagir com sua família pode ser uma barreira difícil. Os Adaptoys estão trazendo a magia da brincadeira para os 5,6 milhões de americanos que vivem com paralisia através de seus brinquedos equipados com ativação de voz, sensores de movimento e tecnologia assistiva por sopro.

A agência de publicidade 360i em parceria com a empresa de tecnologia Axios criou dois protótipos de Adaptoys. Um é um carro de controle remoto alimentado por um fone de ouvido equipado com um canudo, no qual os usuários podem soprar para o carro acelerar ou inalar para dar ré. Já os sensores de movimento integrados ao fone de ouvido dirigem o carro para a esquerda ou direita com base no movimento da cabeça do usuário. O segundo é uma máquina de arremesso controlada por voz que lança uma bola no comando do usuário.

Para trazer brinquedos acessíveis ao maior número de famílias nos Estados Unidos, a Christopher e Dana Reeve Foundation, em parceria com a 360i, lançou uma campanha de financiamento coletivo para levantar fundos e auxiliar na pesquisa, desenvolvimento e produção de pelo menos 100 carros de controle remoto adaptados, que serão distribuídos aos beneficiários qualificados através de uma seleção aleatória.

O ex-jogador de futebol Rutgers Eric LeGrand, que ficou paralisado do pescoço para baixo durante uma partida em 2010, e Donna Lowich, que vive com tetraplegia, ilustram o impacto  positivo que esses brinquedos podem causar em pessoas que vivem com paralisia.

“Eu nunca deixei a paralisia me atrasar. No entanto, eu olho para os meus sobrinhos e isso pode ser frustrante quando eles querem jogar bola e eu não posso participar da festa”, disse Eric LeGrand. “Com os Adaptoys, eu posso brincar plenamente com a minha família e criar novas memórias com eles”.

“Como avó, você sonha em brincar com seus netos. Mas para as pessoas com deficiência, a hora da diversão pode ser inacessível”, disse Donna Lowich. “Adaptoys vai me permitir fazer parte de sua infância de uma maneira mais significativa e minha única esperança é que possamos trazer esses brinquedos acessíveis a muito mais famílias. Todos merecem brincar com seus entes queridos.”

 

Portal Acesse

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here